domingo, 27 de agosto de 2017

O Lobo e o Leão

Eu não sei com quantos anos a gente começa a fazer retrospectivas e avaliações e talz. Acrescente-se o fato de que minha memória é péssima. Mas, assim, olhando só o que ainda é recente: tantos moços casadoiros.

Está tendo jogo do Flamengo e eu aqui me roendo por não ser sócia-torcedora nem ter mais de 300 reais pra ir assistir ao jogo final.

E aquela vontade de largar tudo e mergulhar em Grey's pra lembrar como é sentir a vida?

No fim de cada intervalo de jogo: "Flamengo é o mesmo". E a impressão de que a vida vai ser um eterno dia da marmota com ocasionais escapadas de avião?


  
Pensando aqui que a série acelerou ou despertou uma certa simpatia por Jaime Lannister e Jorah que, só pelo desenvolvimento dos livros, demoraria ou nem chegaria a aparecer, pela forma como se relacionam com o Ned.

Então, episódio 5. Achei bem incompleto o Torneio da Mão na série. Ok, mostrou que o moço morreu por obra Lannister e fez Mindinho ter uma ou duas piadas, entretanto o espírito do torneio, a sensação de que é uma pálida sombra da verdadeira batalha, com suas mortes mas também com admirações mútuas entre combatentes, etc ficou meio vago. Mas nada que termine com a ovação do Clegane é de todo perdido. Além disso neste episódio temos um pouco de tempo de tela do Bronn – o suficiente pra ganhar meu apreço.

Uma coisa que me incomodou muito na transposição, do livro pra série, do diálogo do conselho sobre matar ou não Daenerys enquanto estava grávida e talz. Na série faz parecer que Ned é contra porque é um boato de Jorah e não porque a idéia em si o repugna. No livro vemos claramente que ele é contra qualquer violência com “civis”, especialmente crianças e talz. Seguida a esse momento tem a única decisão do Ned que questiono. Ele deveria ter partido, não ficado mais um momento pra ouvir intriga de Mindinho (e ainda daria pra ter zils páginas depois, mas não seria a mesma história, né, Welbs). O que ele ganhou além de uma perna machucada? Por outro lado gostei bastante da cena do Renly com o Cavaleiro das Flores (a depilação) e da conversa sobre treino e dom e ser mimado.

Dos desperdícios e esquecimentos: aquela cena do Varys com Ilyrio, os dois conspirando, rola um "nós" mas depois isso se perde nas temporadas seguintes e hoje temos Varys dizendo que sempre foi #TeamDaeneryzzz. 

Das boas adições: este papo Robert e Cersei foi uma beleza de ritmo, texto, direção e interpretação dos atores. A frustração de Robert, a perda de sentido, a frieza autoimposta de Cersei, tudo tão dolorido.


Relendo e revendo cheguei na parte em que Tyrion fica preso no Vale e comecei a lembrar, gente, como ele sofre ao longo da história, né. A gente (a gente sou eu) repara nas dores de Arya e Sansa e talz, mas talvez Tyrion seja o que mais apanha nesse Jogo. 

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...