sábado, 10 de setembro de 2016

Garrafinhas (Para) Olímpicas 13: Cobertura

Vai ter pódio todo dia? Não sei, mas queria Verônica todo dia <3 i="">

Eu escrevi aqui ontem: o termo superação, no esporte olímpico, só deveria ser usado no contexto de superar marcas, superar índices, marcar recordes. Paraolimpíadas é esporte de alto desempenho. E que desempenho! Os atletas brasileiros estão levando a sério a idéia de “pódio todo dia”. Ontem tivemos a medalha de ouro do Daniel Martins, uma coleção de medalhas de prata - judô feminino com a Lúcia, 100m rasos feminino e masculino com Verônica Hipólito e Fábio, 50m livre- natação com Phelipe, revezamento 4x50 que tinha na equipe Clodoaldo – e a medalha de bronze, no lançamento de disco, da Izabela Campos.

Além disso, tenho gostado mais dos programas de suporte à transmissão e das entrevistas ao fim das provas do que os da época dos Jogos Olímpicos. Não sei se a especificidade do evento demandou mais preparação, estudo e maior cuidado na linguagem, o que sei é que as perguntas estão mais inteligentes e menos óbvias, o que favorece respostas mais críticas, divertidas, empolgantes, etc. Ontem foi o dia de ver a Verônica Hipólito dando várias entrevistas e, em todos os momentos, leveza, inteligência, informação.

Embora. Sim, embora. A transmissão de vez em quando força a mão no lance inspiração, superação, história de vida de forma ambígua, a gente não sabe direito se é admiração atlética ou benevolência caridosa em relação à deficiência. Quase sempre, penso, um mix dos dois. E, mais, um insperado deslumbramento. Por isso achei válido pedir pro meu querido Rogério pra republicar o texto que ele escreveu ontem no FB:

Não Despolitizem as Paralimpíadas!

Ao contrário do que afirma a mídia, as Paralimpíadas não são "a prova de que é possível vencer a deficiência"! A deficiência não é algo a ser vencido ou superado. As barreiras (arquitetônicas, culturais, comunicacionais, metodológicas, curriculares, atitudinais e morais), obstáculos socialmente interpostos contra as pessoas com deficiência, é que devem ser eliminadas.

As Paralimpíadas explicitam que deficiência não é sinônimo de incapacidade, mas de diversidade funcional, comunicacional, intelectual. O evento pode nos ajudar a entender que BARREIRAS PRODUZEM A DEFICIÊNCIA e integram e sustentam um regime de privilégios, que precisa ser desnaturalizado e denunciado. 

Do contrário, entre lágrimas e aplausos de comoção, tendemos a seguir convencidos de nossos bons sentimentos e alimentando as moendas da injustiça, perversão e hipocrisia”.

E hoje tem:

9h – Tênis de Mesa
9h30 – Natação
10h – Triatlo
10h – Atletismo
10h05 – Judô (Arthur)
10h20 – Judô (Antônio Tenório)
10h45 – Judô (Deanne)
11h – Judô (Wilians)
11h – Bocha
12h40 – Bocha (duplas mistas)
13h – Halterofilismo
17h20 – Bocha (duuplas mistas)
17h30 – Natação (finais)
17h30 - Finais do Judô
17h30 - Atletismo
19h – Futebol de 7

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...