quarta-feira, 18 de maio de 2016

Chega Mais: Central do Textão

Escrever é viver outra vez. Ou algo assim. Foi a Duras que disse e ela dizendo, pra mim, é tábua da lei. Ou algo assim. Escrever é sempre uma aproximação. Uma tentativa de. 

Eu escrevo porque preciso. Mesmo sabendo que a linguagem é aquele cobertor da anedota, se cobre a cabeça descobre os pés e vice e versa. Ou verso. Mesmo sabendo que nunca vou dizer tudo. Tudo que sou. Tudo que preciso. Tudo que sinto. Tudo que anseio. Escrever é quase. 

Cheguei aos blogs por acaso e com atraso. Escrevia antes? Claro. Longas cartas pra ninguém, por exemplo. Mas os blogs me ofereceram outra forma da escrita ser no meu mundo. Aproximações. Interlocução. Cheguei espalhafatosa, voraz, me espalhando em vários espaços. Muitos blogs. A ilusão de sempre. Dessa vez, quem sabe, eu digo mesmo. Eu digo eu mesma. Inútil, mas divertida tentativa.




Junto com a escrita, a leitura. Outros tantos cobertores curtos. Gente que escreve diarinho. Gente que analisa. Gente que poetiza. Gente que tira retrato, em letra, do agora do mundo. Gente que admiro. Que aprendi a gostar nas linhas e entrelinhas. 

Como eu cheguei depois, mal deu tempo assentar. Veio o FB e as caixinhas de comentário do blog, aquele espaço lúdico de conversa, ficou vazio. Ou meio vazio. Um ou outro verborrágico (quem, eu?) insistindo em falar por todo lado. Mas o pique era outro. O FB é transitório. Tem sua beleza, mas é diferente de escrever letra a letra. De chegar no blog alheio e ler letra a letra. O FB afasta ou aproxima demasiado. A gente meio perde a etiqueta. 

Eu nunca deixei o Borboletas porque, como eu disse, eu preciso escrever. Mas o ritmo era outro. A impressão que todo mundo estava em outra festa. Até que a Tina veio com a idéia: vamos voltar pros blogs? Todo mundo junto? Eu topei logo, como não? Conversa vai, conversa vem, surgiu a Central do Textão (aqui, o link). 

Coisa mais linda, benzadeus. É meio um blogroll sofisticado (e foi todo preparado e cuidado pela Juliana, obrigada, baby, por esse trabalho incrível). Um espaço que concentra as atualizações dos blogs de um monte de gente divertida, inteligente, sagaz. Tem blog diarinho, tem blog temático, tem fotografia, tem quem fale de tudo, tem quem fale do nada. Desde que seja produção pessoal, tá valendo. 



Ou, nas palavras da Tina, essa linda: “A Central do Textão é um ponto de encontro de blogueiros, das antigas e estreantes, com textões ou nem tanto, que podem ser feministas, literários, de resenhas, diarinho, ter mamilos, ser de esquerda, de direita, ter/ser poesia, cada um no seu canto mas todo mundo junto, aqui, tentando reavivar o gosto e reencontrar o espaço da leitura que não é efêmera, sem regras a não ser as de quem escreve”.

A idéia é trazer nossos pensamentos, reflexões, textos, pra praça. Pra “rua”. Colocar na roda. Voltarmos a interagir. Vamos lá, ocupar as caixinhas de comentários. Trocar palavras.  Resistir.

Escrever é tentativa. De encontro, talvez. 

(aqui tem um excelente post-apresentação-resumo da ideia: Na Central no blog Lenta Caminhada)

7 comentários:

Cláudio Luiz disse...

Resistir. Interagir. Revolucionar.

Rita disse...

Tem cheiro de festa.

Ana disse...

Retribuindo a visita, adorei seu blog! Voltarei! Beijos diretamente da Psiulândia!

Renata disse...

Essa resistência já tem proporcionado tantas boas descobertas que já valeu, já deu certo, já é uma festa boa. E vai ser ainda mais :*

Marissa Rangel-Biddle disse...

Isso ae! Estou sem os acentos porem, to aqui te enviando um cheiro.

Marcelo Paes disse...

Escrever é fácil e difícil. A ideia da Tina foi ótima para unir o prazer da facilidade com o desafio da dificuldade. ;-)

Juliana Vilela disse...

Adorando os textões :)
Obrigada, sua linda!
Beijo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...