segunda-feira, 18 de maio de 2015

Como você gostaria de escrever?

(a Ana Rusche, que é uma escritora talentosa e generosa, vai propor, às sextas, exercícios criativos. É para quem escreve literatura, mas não há nada que impeça uma autora de blog diarinho tentar acompanhar, não é. Então, vou nessa. O primeiro exercício é responder à pergunta: como você gostaria de escrever?).




Eu gostaria de escrever como quem dança. Com leveza. Daquele jeito em que cada movimento tem um sentido, foi trabalhado, elaborado e agora é só beleza e graciosidade. Queria a escrita onde a suavidade incluísse a força, o que é como declinação inevitável do que foi e, de repente, uma parada, um respiro. A repetição se fazendo arte e suor. Queria que minhas palavras transpirassem. Que as palavras fizessem ponta, mas que nem se notasse o esforço, quase flutuassem, enlevo e corpo.

Gostaria de escrever como quem executa o improvável. Ocupar espaços de formas inusitadas. Como se o texto fosse umbral e convite. Quando se dança é como se o corpo condensasse, em um tempo e espaço únicos e irrepetíveis, som, sonho e movimento. Escrever como quem rodopia. Como quem desenha transitórias figuras no ar.

Que a letra fosse como o segundo ato de Giselle, a morte do cisne, a Valsa das Flores, como uma coreografia de Deborah Colker, um improviso de Baryshnikov, um dueto com Fred Astaire. Gostaria de escrever como quem desloca o ar, seja no palco, seja no peito.



(Quer mais Ana? Vai ao site dela, é incrível)

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...