domingo, 27 de abril de 2014

Estrelinha

Eu já contei que tem umas estrelinhas no teto do quarto dessas que brilham, suaves, no escuro?

Eu tenho uma coleção de lembranças, minhas pequenas estrelas portáteis. Fecho os olhos e elas brilham cá dentro.


Tem um filme que gosto muito. Lado a Lado. É um daqueles filmes que me faz bem. Que parece um ombro, sabe. Ou uma estrelinha no teto. Gosto da canção e das cenas em que eles a cantam. E amo a cena do restaurante: - "meu receio é que ela pense: queria que minha mãe estivesse aqui" - "meu receio é que ela não pense"... e depois a constatação de que não é preciso escolher, que todo mundo pode ser melhor com a convivência mais diversa.


Por um mundo em que se entenda as citações d’ A Nova Onda do Imperador. Porque tem hora que só resta comemorar: "oba, virei lhama outra vez!"

Quando tudo for esquecimento, ainda vou sentir tuas mãos nos meus cabelos.

Dizia o Bandeira: porque os corpos se entendem, mas as almas não. Deve ser por isso que, semana após semana, eu penso que não teremos mais nada pra dizer, mas os corpos, em um balé elaborado e misteriosamente ensaiado, sussurram intimidade durante o sono.

Eu não lembro mais como era a versão elaborada da Bela e a Fera que ouvi muito antes da Disney me deslumbrar. Mas era algo como: o coração da fera depende de uma rosa que está em uma concha que está em uma caixa que está em uma pedra que está em uma arca que está no fundo do mar. Ou daí pra pior.


Quando eu era pequena, na escola, aprendemos uma musiquinha que nunca, nunca mais esqueci, nem letra nem coreografia e começava assim: "minha estrelinha". Ainda cantarolo.

Um comentário:

Skyline Spirit disse...

pretty nice blog, following :)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...