terça-feira, 26 de novembro de 2013

Um Livro #VemGente

Das muitas coisas boas que me acontecem, as melhores ainda são as pessoas. Das pessoas incríveis que andaram me acontecendo, aconteceram a Rita e a Joana. Uma espia o blog da outra que comenta no blog da uma. De admiração em admiração, a Joana fez um convite , a Rita topou, eu topei, fomos de riso em risco, de risco em riso e, hoje, como diria minha avó contando histórias, tá tudo nesse ponto.

E esse ponto é um livro.

Como eu já disse pra vocês (disse, não disse?) escrever é uma morte. Em dado instante sou eu plena de palavras, frases, estórias que latejam, que passeiam, que balançam na ponta da língua, num emergir de infinitas possibilidades. Eu sou tudo que poderia pensar, tudo que poderia dizer, tudo que poderia escrever. A primeira palavra registrada em papel e eu me quedo na renúncia de todas as outras que poderiam ter sido. Um texto é a negação de toda a obra que não será porque o texto é. A palavra escrita cristaliza a idéia que, falada, eu altero, dimensiono, aperfeiçoo. O escrito é irreversível. O texto, pronto, me fita, num desafio que me emudece. Só ele diz. Diz tudo e não me restam outras palavras. Por um momento nada me resta. O que se escreve é um punhal, belo e perigoso mesmo em mãos inocentes. E, por isso, eu nunca pensava em escrever um livro (por isso e pela compreensão de que as palavras devem ter algum valor pra ocuparem as estantes alheias). 

Até que. Quando a Joana apareceu com o convite, balancei. Mas a Rita disse sim e eu queria tanto estar com elas, disse sim também. E fomos. E doeu, mas pouco. E morri, algumas vezes, mas a maior parte do tempo foi vívida alegria. E foram letras e imagens e trocas e belezas. Está tudo nesse ponto: um livro. Nosso livro. Contos do Poente. 18 contos. 192 páginas. Tudo ilustrado pela Joana. Vai sair pelo selo Sinergia, da Ediouro. Tem apresentação da Jeanne Callegari. Na contracapa, tem a Fal dizendo gentilezas. Sou suspeita, talvez, mas preciso falar pra vocês: está bem bonito. Os contos da Rita são envolventes, ternos e surpreendentes. Os traços da Joana são elegantes, hipnóticos. E a minha escrita, bom, quem volta aqui tem lá os seus motivos e não serei eu a questionar, especialmente agora, né?

Olha a capa, não tá lindo?




Com certeza, ainda falarei muito sobre ele, por aqui. Mas, por agora, vamos ao que interessa: já estamos aceitando encomendas. Quer comprar? Siga os passos:

- manda email pra contosdopoente@gmail.com indicando quantos livros (sou uma otimista) você vai querer e o endereço (ou endereços) de envio.

- aí nós respondemos indicando os dados da conta do Banco  do Brasil pra você fazer o depósito ou transferência [42 reais = 36,00 reais (o preço do livro) + 6,00 reais (o preço do envio pelo correio)] 

- envia o comprovante para o email contosdopoente@gmail.com 

- aí é só esperar que você recebe no endereço indicado e pode partir pro abraço.

OBS: Os livros começarão a ser enviados dia 17 de dezembro. Logo que o seu for postado, mandamos um mail confirmando, né legal?

O livro será lançado primeiro em Florianópolis, no dia 12 de dezembro, na Livraria Nobel, no piso térreo do Floripa Shopping, às 19h, com presença e autógrafos da Rita. Depois, em 2014, teremos lançamentos em São Paulo (13 de fevereiro) e Rio de Janeiro (15 de fevereiro). Eu e a Rita, só luxo, no Sul Maravilha #SeSentindoAGraúna. E, em março, evento em Fortaleza, no dia d meu aniversário, com noite de dedicatórias.

[Se você quiser comprar só no lançamento ou direto da mão das autoras em outro encontro qualquer, não precisa se preocupar, o preço é o mesmo. Mas quanto antes você comprar, mais você ajuda as autoras a apagar os rastros, sair do vermelho etc]. 

Contos do Poente também tem uma página no FB, se você curtir vai ler trechos do livro, ver ilustrações e receber as informações saindo do forno. Qualquer dúvida, parabéns, exclamações de surpresa e prognósticos de sucesso, pode deixar aqui mesmo, nos comentários ;-)

---xxx---xxx---xxx---

Eu sei, eu sei, alguns vão perguntar: é um livro de quê? É um livro de poentes. Aquela hora em que a luz se transmuda em quase matéria, em que as dores e as belezas podem ser tocadas, em que os olhos embaçam e a gente espia com a alma. Pra saber mais, vocês vão ter que ler. Leiam, leiam. 

3 comentários:

Palavras Vagabundas disse...

SUCESSO!
Respondi o email.
bjs
Jussara

Tina Lopes disse...

Eu já disse e vou repetir lá no FB (pra fazer um marquetinzinho): é muita nata da sociedade num livro só. Você, Rita, Joana, Jeanne, Fal, caramba. Não deixaram pedra sobre pedra =) Fico muito feliz por vocês, e por ter tido o orgulho (hihihi) de acompanhar esse processo. Já tô pensando em Jabuti.

Bueno Nepomuceno disse...

A cada linha que leio sobre seu livro fico mais curioso e ansioso para começar a vive-lo, prima. Pois se o autor morre ao escrevê-lo, eu, leitor, posso nada menos que viver cada palavra e sentimento deixado naquelas páginas. Quero logo!! ^^

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...