segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Comida Voadora ou Eu e os Mariscos

Duas coisas que alguém deveria ter me avisado sobre os mariscos em Portugal: são gelados e voam.

Mas vamos começar do começo: lá estou eu, feliz de lá estar, mas com aquela saudade de casa - que é tipo uma doença crônica, nem sempre incomoda, mas não há ilusão de que nos curamos – que leva a dizer: ah, que vontade de...(inclua aqui sua vontade do momento). Dessa vez era caranguejo. Explica daqui, explica dali o que é caranguejo, o interlocutor gentil diz: ora, podemos comer mariscos. Ieba. Ieba. IEBA – penso eu, com pompons e jogo de luz, mas digo: sim, obrigada. 

Quarenta minutos de estrada para chegarmos a uma boa marisqueira (que é o nome certinho para o restaurante que se especializa em frutos do mar, anotaram?). Antes um passeio pra conhecer a cidade (e vocês podem ver minha cara de antecipação).


Mas também, como não ficar contente com tanto azul? E ainda tinha gente pescando por ali, gosto demais de ver a vida acontecendo:



Logo de entrada fiquei especada: linda iluminação, toalhas finas, taças, cardápio com capa de couro e guardanapos extremamente brancos...de pano! Confiram comigo no replay: eu estava pensando na Praia do Futuro, caranguejos boiando no leite de coco, aquele molhinho escorrendo no queixo, na mão, por todo o lado... Mas em Roma, como um romano, opa, como os romanos, lá estou eu, guardanapo no colo, lendo a ementa (nome local para menu e muito mais divertido) e saboreando os nomes inventivos e instigantes: navalheiras, percebes, santola, lavagantes... Pedimos um prato que vinha com porções de várias coisinhas (conhecimento é poder, baby). 

Aí começou meu momento Júlia Roberts/ Pretty Woman: não por algum príncipe encantado em uma limousine branca, não por esbeltas e longas pernas em botas de cano alto, não por fazer alegres indecências ao piano, não por sair, coquete, de lojas badaladas cheias de sacolas... não, nada disso é pra mim. É que lá estava eu, a espera dos mariscos, quando o garçom, sorridente, leva embora garfos e facas e deixa uma espécie de alicate e um artefato que de um lado é um arremedo de colher estreita e do outro é um ganchinho. 



Nada de bom deve sair de um prato que se come escarafunchando, vocês não concordam? Aí chega a comidinha e sou apresentada à ideia de que marisco, em geral se come frio. Cozinha o camarão e deixa esfriar, gente. A sapateira, prima gigante do caranguejo, vem seca e fria, fria, fria de marré, de si. 

Desculpa, só lembro de fotografar quando já comecei a comer...

Mas sou guerreira, peguei o tal alicate, separei uma perna de sapateira, apliquei força no movimento com o instrumento e, tchanrã, lá se foi a comida voando pelos ares. Quer ter uma ideia aproximada, olha aí no vídeo, mais ou menos a 2:20’.


Só não foi preciso um apanhador hábil, o lance escapuliu, voou reto e horizontalmente e pousou no centro da minha mesa (com acompanhamento sonoro: além do barulho do evento em si, minha gargalhada nada discreta). É isso, amiguinhos, se alguém pensava que eu tinha alguma espécie de classe ou finesse, pode esquecer.




Mas, para o bem da verdade, a despeito da temperatura, do complicado uso de instrumentos quase cirúrgicos pra comer, a comida estava muito, muito gostosa. Não, estava mesmo deliciosa. E farta (essa é uma das belezas de Portugal, a mesa é sempre uma festa). E depois do camarão, da sapateira e que tais, ainda teve a saborosa açorda de mariscos (essa sim, bem quente como deve ser):


Olha, está difícil não ser feliz...

3 comentários:

Renata de Oliveira disse...

Saudade da sua gargalhada!
E da mesa farta de Portugal (so não dos pobres caranguejos com seus olhinhos, na praia do futuro...)
Estou gargalhando internamente, enquanto aguardo o decorrer de um dia que promete ser tenso, não por ser segunda, pobrezinha, mas por estar no pior lugar para se trabalhar: plantão. Fuen.
Obrigada por alegrar minha manhã!

Palavras Vagabundas disse...

kkkkk fiquei feliz por te ver feliz, queria ouvir sua gargalhada com o marisco voador.
E mais feliz por achar o blog aberto. Quando for assim avisa, a gente vai lá e dá uma coça nela. Minha rede no FB, batalha contra isso, então um link com plágio descarado, todo mundo cai em cima até tirar o post do ar.
bjs
Jussara

Anônimo disse...

E eu fico só imaginando a gaiatada e a cara do garçom.....kkk

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...