terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Eu, eu mesma e Irene


E aqui as árvores despem-se, despudoradas. Não há nudez maior que a esperança.



Uma saudade: o horário do futebol.

Enrodilhar. Adoro essa palavra. Sinto-a passear na língua, sinto-a deslizar dos dedos. 

E havia aquele tempo, aquele lugar, aquela pessoa, que me sabia.

Que a vida seja como rapadura, mesmo quando dura, doce. 

37 eus: Avião. Azulejo. Barulhinho de mar. Beijo. Café. Callas. Cerveja. Cinema italiano. Colo. Dançar nua. Eletricidade. Filho. Fazer aniversário. Gaitada. Hotel. Irmãos. Jantar com amigos. Lamparina. Maria Bethania. Marquesa. Mengo. Musicais. Natal. Ovo. Panteras. Piaf. Queijo. Rastros de Ódio. Scarlett. Tv a cabo. Uva. Vadiar. Ventilador. Viajar. Violino. Wayne. Zeus e sua cambada.

sempre considerei que “mas agora o meu dia-a-dia, é no meio da gataria, pela rua virando lata, eu sou mais eu, mais gata, numa louca serenata” uma proposta de vida bem interessante.

Atenção para o segredo: o bom da amizade é a outra pessoa.

Eu sabia escrever, começa com maiúscula, põe uma letra depois da outra até chegar no ponto final (né, Pablo Neruda). O problema é que no meio tem que pôr as ideias.

E o meu corpo resolveu que eu devia ter a adolescência que nunca tive: uma coleção de espinhas.

37 eus: Aboio. Alpendre. Aperreio. Arrumação. Bacorinha. Banguela. Banho de açude. Belezura. Cadeira de balanço. Cangote. Capitão (a comida). Capote. Carpideira. Chamego. Chuva. Esprangida. Farinha. Feijão Verde. Fogão a lenha. Gonzaga. Lampião. Leite “mugido”. Lundu. Nata. Novena. Pote. Prato de alumínio. Rapadura. Rede. Riso alto. Sala de reboco. Sanfona. Severino. Sinuca. Tapioca. Terreiro. Torresmo. 

Quero ver Irene dar sua risada. É o que nos redime, acho.

2 comentários:

Inaie disse...

o bom da amizade é a outra pessoa. Essa frase já valeu o texto todo!

Palavras Vagabundas disse...

Dar uma risada, é o que nos redime... também acho.
beijão e um ótimo 2013
Jussara

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...