quarta-feira, 11 de abril de 2012

Vem Cá, Luiza 02

Como eu sempre digo, visitas são bem vindas, acarinhadas e convidadas a voltar. A Luiza voltou. Quem não lembra, ela já esteve aqui contando um pouco do seu sentir no texto Desassossego/Flerte?? lá pelo meio de fevereiro. Teve gente que ficou curiosa sobre o desenrolar (eu mesma, por exemplo). Daí que a Luiza veio nos atualizar. 


Urgência, por Luiza

Não sei o que houve, mas ele está mais atirado, mais descarado, correndo mais riscos. Será que leu meu texto? Será que entendeu que falava dele, de nós? Às vezes tenho quase certeza que ele sabe da minha identidade secreta e, sim, estamos flertando. Não tenho mais dúvidas.

Continuamos não falando a respeito, exceto por alguns pequenos deslizes não desenvolvidos propositalmente que rendem muitas risadas. Gosto desse jeito. Mas, confesso, adoraria que me surpreendesse e fosse direto. Acho que perderia o chão... Ele acha que sou movida por paixão, não faz ideia do quanto. Meu único senão é que estamos longe e confessar desejos assim pode ter efeito contrário.

Tem dias que me oferece colo e me derreto. Nossas conversas começaram assim, ele me percebendo nas entrelinhas e querendo saber mais de mim, se colocando a disposição para desabafos, se fazendo perto. Sempre atento à  reações e dizeres, aprendeu a ler-me. Em poucos meses de conversas mais íntimas me sabe toda. Me perderia em seus braços desde o primeiro segundo, sem freios ou pudores... Alguém que sabe tanto da minha alma saberá também do meu corpo. 

Não tenho expectativas maiores sobre futuro ou relacionamento. Só quero estar com ele, sabê-lo em profundidade. Quero saber suas risadas ao pé do ouvido, quero seus sentidos nos meus, seu coração e respiração cadenciados em mim. Queria um final da tarde só nosso para umas cervejas e sentar pertinho, olhar nos olhos finalmente, sentir o cheiro, o toque da mão, o joelho esbarrando por engano... 

Como se não tivesse nada mais importante na vida para fazer, só penso em encontrá-lo. Continuo não sabendo como ou para que o desejo, só quero. Quero muito. E a urgência que não existia agora toma conta. 

3 comentários:

Aline Costa disse...

Que lindo, Luiza! :)

Renata Lins disse...

Luiza querida, lindo esse seu texto. Estamos na torcida para que o moço caia na rede... e aguardamos cenas dos próximos capítulos!

Niara de Oliveira disse...

Ai, que tô adorando essa história. A Luiza poderia escrever esses capítulos com mais frequência. Né, Lu?
Beijo!