quarta-feira, 14 de março de 2012

Um Dia de Cada Vez


Hoje é aniversário do meu pai. Ele é um baita cara, sabe. Quando eu era criança, queria ser igualzinha a ele. Hoje, muitos anos passados e experiências vividas, muitas pessoas e situações conhecidas, ainda quero exatamente a mesma coisa. Ser como ele é. Meu pai sabe amar e ser amado. Com ele aprendi a tolerância. O sorrir fácil. Foi espiando sua fala que fui aprendendo que ser gente é bem mais difícil do que parece: exige bondades. Foi observando seus dias que fui descobrindo: ser gente é bem mais fácil do que parece: demanda entregas. Meu pai é de coragens. E força. Meu pai é de vulnerabilidades. E generosidade. Construiu Brasília com as próprias mãos. Construiu um mundo de afeto pra nós com seus próprios sonhos. Com ele aprendi a dizer, inclusive não, mesmo pra ele. Aprendi as cores vermelho e preto para a paixão. Aprendi o cavalgar para o destino. Aprendi o sofrer na canção. Deu-me ele: flamengo, faroestes e Maysa. Deu-me o mundo. Não preciso da sua aprovação, ele me ensinou isso. Mas a quero. Quero colo, ainda. O saber-me no lugar certo. Princesa, bacorinha, rapariga, moleca, sábia, ser nos seus olhos. Ser sua filha. Igualzinha a ele.  

Mais amor por ele aqui e aqui.

Amigos

E eu, que tenho as mais doces e belas e inteligentes e saborosas amizades, deixo aqui minha alegria por receber tanto carinho em forma de letras. As Mulheres de Freud. Amei. 

Ainda eles: hoje eu e aquele cearense metido a cosmopolita tivemos dos papos mais engraçados. Sabe alívio? os dois suspirando. Sintonia fina. 

Mas tem você, em silêncios que me doem. Sei que sou egoísta, preciso de você na minha vida, sua palavra me dá sentido. Já tentei percorrer o abismo em letras. Talvez deva enchê-lo de lágrimas. 


Somático

E é isso: ontem, adoeci. Hoje, mais um pouco. Mas já entendi. Será um mês assim: em aflições. Aprender a lidar com a dor que sai no jornal. Entendi hoje que não vai ser fácil. Incomunicável, por exemplo, pesa. Assim o prometo, corta. São desassossegos. De qualquer forma, um dia de cada vez, vou a São Paulo. E Curitiba. E Florianópolis.  Um alento. Mesmo que tenha dado tudo errado, algo deu certo. Vou vivendo em Tara: amanhã eu penso nisso.


8 comentários:

Anne disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Drixz disse...

Oi, Luciana. Lindo seu texto. Curta bastante seu pai.

Nina disse...

Coisa boa é ter um pai. Um pai assim, que ensina. Uma filha que aprende e que tem tempo pra dizer desse amor, e dessa aprendizagem.

sorte e mts anos de vida ao paizao.

Danielle Martins disse...

Dê parabéns ao seu pai por mim, ele é ttudo que você descreve e um pouco mais! Bjs!

Danielle Martins disse...

Dê parabéns ao seu pai por mim, ele é ttudo que você descreve e um pouco mais! Bjs!

Danielle Martins disse...

Dê parabéns ao seu pai por mim, ele é ttudo que você descreve e um pouco mais! Bjs!

Didi disse...

Adorei seu blog!
Adorei seu pai!
Deu muita saudade do meu.
Parabéns pra ele, muito beijo, muito abraço, muita saúde e muita alegria, pra sempre.
Você escreve lindamente.
Gostei.

Rita disse...

Parabéns ao paizão. É uma honra tão grande,né. E é tão bom saber que você sabe disso. Parabéns a você também.

Eu vi uma palavra aí no final do post que me abriu um sorrisão. Do mais, falamos amanhã. Beijos, fique bem.

Rita

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...