segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Meme dos Filmes #25 - Meu Vilão Favorito

O Mal - Hors Concours
Powell (O Mensageiro do Diabo): Robert Mitchum


Meu Vilão Favorito

Há vilões inesquecíveis. Tantos. Daqueles que nos fazem perguntar porque que (a) gente é assim. Os meus vilões preferidos são aqueles que nos apresentam o mal como algo que nos é próximo, íntimo, uma questão de ênfase do ser assim: humano. Quem é mal mesmo, sabe o que está fazendo. Como Emma Small e seu nervosismo, sua ânsia, sua fome. Emma tem um propósito único: destruir Vienna. É como uma música de apenas uma nota: não há desvios para o seu ódio. Ela tem prazer em odiar, sabemos pelo seu sorrir constante quando grita, sem pejo, que não está satisfeita. Nunca estará satisfeita, não é de completude que se faz o mal. Ela mente, ela acusa, ela é pérfida e cruel. Quando o fogo consome o saloon de Vienna, os olhos de Emma brilham e há riso em seus lábios. É o mal que lhe embeleza o rosto, que lhe estremece o corpo.


Baby Jane é o mal pautado em ciúmes, inveja e mágoa.O desconforto das pequenas indelicadezas verbais vai se acentuando enquanto vemos Jane tornar-se cruel com sua irmã que, verdade seja dita, não é nenhum anjo de candura. Os maus tratos são a parte material do mal de Jane, mas assustador mesmo é ver a infância feito loucura e maldade. O mais impressionante em Baby Jane é que sabemos de sua vulnerabilidade, podemos até ter pena dela, mas isso não nos impede de saber: má, má, má. É desesperador acompanhar cada minuto do filme, mas ainda mais angustiante é pensar em desviar o olho. Vilã, com letra maiúscula.


E a Enfermeira Ratched? Sorriso fixo, olhar frio, aquela condescendência que humilha e controla... Má, claro. O poder corrompe? Não há dúvidas quando lembramos dela. Especialista em sutis manifestações de crueldade, repressiva, rígida, astuciosa, gelada. Liberdade, diversão, autonomia? Nem pensar. O que ela espera – e obtém – é subserviência. Repulsiva, porque absolutamente ciente do mal que promove, a enfermeira Ratched nos lembra o quão íntimo é o mal, o quão próximo está de cada um de nós.



Menções Honrosas:















Também participando do Meme dos Filmes (saiba mais neste post aqui):

Tina – Pergunte ao Pixel 
Verônica - Will you do the fandango?
AndreV. – Lágrimas de Crocodilo
 Renata  Muitos e Duplos
Deise Luz – Sete Faces
Sandro - Vinil Digital
Ludelfuego - Presbita e Emétrope
Peter – Câmera Antiga

5 comentários:

Tina Lopes disse...

Ai, que injustiça com Baby Jane, porque no final das contas a gente fica sabendo que SPOILER! Depois comento mais, quero voltar.

Renata Lins disse...

Baby Jane é desses filmes que me horrorizaram. Quer dizer, não tenho nem coragem de ver de novo. Tenho medo até de lembrar do filme. A maldade íntima é o pior tipo, acho. Beijos!

sandro caldas disse...

Notei que é possível escolher muitos exemplares em cada item, né? Acho que a tarefa fica muito mais fácil! rsrs!
Suas escolhas são inquestionáveis, mas eu tenho outras horripilantes. Você verá!
Beijos!

Bárbara Lopes disse...

Fico resistindo pra não dar meu palpite em cada post, porque senão eu teria que entrar no meme e eu sou uma pessoa que não entra em memes.

Mas eu preciso falar que meu vilão favorito é o Ripley justamente porque eu tenho uma grande dificuldade que ele é mau. E se eu não acho os crimes que ele comete realmente criminosos, bom, talvez seja uma falha de caráter minha, né?

beijos

Luciana Nepomuceno disse...

Bárbara, sabe que eu não menciono o Ripley porque não consigo considerá-lo vilão? Imagine o tamanho, então, da minha falha de caráter...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...