quarta-feira, 1 de junho de 2011

No Tempo Certo

Olha pro céu, meu amor
veja como ele está lindo...


É junho. Já sinto o cheiro de mugunzá. De pamonha. Canjica. Já os pés mais leves de quadrilhas lembradas e esperadas. Já cores e promessas de risos a mais. Um último réquiem para maio: começaste muito pior do que terminaste. Em algum momento me trouxeram de volta o riso. Trouxeram-me a espera e a inquietação. Não faz mal, melhor o tanto querer que me agita que a apatia e desesperança. 

É junho e há tantas cores a mais. E vestidos. Bandeirinhas e balões. Há mais música, sanfonas choradeiras a me convidar o corpo. Há anseios por salas de reboco. Há inesperadas coreografias ou ensaiados passos. Há chuva, mas de bala. Há santos que casam e tantas simpatias. Acho lindo esse nome: simpatia. É lúdico e escorre da língua. Dá vontade de sorrir. 

É junho e há um certo cansaço de fim de semestre, mas é morosidade de fim de tarde e rede na varanda chupando rolos de cana. É doce. O corpo se lembra de se saber carne. Gosto dos momentos finais do semestre, o assombro de alguns, a tranquila certeza de uns poucos, a agitação de muitos. Gosto de olhar acertos e equívocos e já saborear a expectativa do novo, do outro, do próximo.


É junho e há chegadas. Há amiga que cruza o oceano. Traz, nos olhos, no colo e no riso, um saber novo. Eu a espero com um querer bem que se faz abraço e histórias e silêncio, muito silêncio de simplesmente se olhar e saber que uma e outra se são em amor. Há amigas que vem do Sudeste. Ali, de um frio sem espelho aqui. Vêm em encanto, em conversa, em aprendizado. Vêm em entrega. Em revelações. São bárbaras. Desbravam meus caminhos e me dão a conhecer. Eu as espero com varandas, livros e cervejas. Eu as espero com solar afeto. Com risos e danças e juninas belezas.

É junho e as meninas só pensam em namorar. E usam saia que termina muito cedo porque facilita. É junho e eu não preciso chorar porque a sanfoninha chora chora a minha dor. É junho de terreiro iluminado, de fogueiras saltadas, tempo em que eu me amoreno em cheiro de fulô. Junho de cabo a rabo tempo de sentir o sertão latejando no pulso.  


É junho, não mais maio, não ainda julho. É junho. Junho. Junho em amarelos. Em sol. Calor de praia. Convite. É junho para os sentidos. Para ver o que há pra se desejar. Cobiça. É junho pra ouvir. Vezes e vezes a voz se fazendo música. Junho para tocar, a pele se fazendo seda. Para provar. Deixar-se ser sabor. Junho para oferecer. E torcer. Junho para despir a tristeza de maio, a angústia de maio, o vazio de maio. Nua de maios, estou pronta. É junho. 



14 comentários:

Rita disse...

É junho das canjicas amarelas que não existem aqui no sul. É junho de minha mãe fazendo essa canjica. É junho das pilhas de milho no quintal da minha casa me esperando para tirar palha e cabelo.

Junho de frio. Que venha.

bj
Rita

regina soares disse...

Ai, que cheirinho bom!!! Mas, meu amor já me disse que vai ser mês difícil, sniff, sniff, sniff... Ora bolas, me pergunta se eu vou ligar????

Glória Maria Vieira disse...

"Junho para despir a tristeza de maio, a angústia de maio, o vazio de maio. Nua de maios, estou pronta. É junho. "

~suspiro~

É Junho do bom forró, do contato, do corpo a corpo. Do quadrilhar, né?! Delícia de mês...

Peterson Quadros disse...

Mugunzá? (procurei no Google-santa ignorância) Que bom que Maio, um pouco cinzento, passou e agora você se abre em alegria para as cores que estão por vir. Achei encantador os elementos que você buscou. Tocou-me. Queria pular a fogueira e comer paçoca no seu contexto original, esperar ansioso por amigas... Quanta brasilidade, afetividade e brasilidade! Poxa Luciana, no meio de tudo, você ainda me escreve que “O corpo se lembra se saber carne”... Que frase! Com o texto, ganhei o feriado. Obrigado de coração

Caso me esqueçam disse...

ai, campina grande :(

nao vai ter cheiro de milho esse ano...

Long Haired Lady disse...

essa borboleta sempre surpreende!

junho para mim tem gosto de amor, meu pai e minha mãe iniciaram o romance no sao joao, e ela sempre canta um antiga musica que diz;

O CEU ESTAVA TODO EM FESTA PORQUE ERA NOITE DE SAO JOAO, HAVIA BALOES NO AR...

Allan Robert P. J. disse...

Em 12 anos de Salvador aprendi a gostar de Junho, do feriado nordestino, do cheiro de festa e fogueira. Por aqui, Junho é só o início do calor (abafado) e o fim do ano letivo.

Rafa disse...

Me deu vontade de juninas em terreros do sertão, onde tomaríamos quentão e nos lambuzaríamos de milho verde.

Bj

Belos e Malvados disse...

Só faltou você dizer que junho é vermelho. Não parece? rsrsrs

Viviane Junqueira Ayres disse...

Lu...

Amei... vou colocar no meu blog tá?

Beijosss querida...

Dona Lô disse...

Um requiem para maio... Faria um discurso de como ela nasceu sem perspectiva de sobrevivência, enraizado na dúvida, e de como se foi me deixando aos sorrisos pelos cantos. Maio me trouxe visibilidade, me trouxe o resultado do autocuidado. Porque mudar de atitude, é mudar o destino!
Que venha a doçura junina!

Renata de Oliveira disse...

Que venha Junho, com seus sabores e calores, com quentão e caldos ainda mais quentes, com as cores da quadrilha e as simpatias populares...
Maio foi cinzento, mas junho... junho será junho, está sendo Junho...
Um novo mês, um novo ciclo, novas velhas possibilidades que não se esgotam enquanto houver vida e um coração batendo, mesmo batido e quebrado e remendado.
Bjs

Menina no Sotão disse...

É junho minha cara, imagina o meu suspiro aí. Que saudade de maio (rs)
Mas eu vou saborear junho. Prometo que vou...


Hei, tenho um convite a te fazer. Será que tu aceitarás? É bastante indecente. Muito. rs


bacio

Mônica disse...

E aí eu comecei a cantar bem assim, ó:

http://youtu.be/M0aVeWrhZMY

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...