segunda-feira, 23 de maio de 2011

Dize-me o Que Tu Lês e Eu Te Direi: Obrigada Pela Sugestão

Eis um desafio que me veio do cemitério aprazível que já se sabe que gosto de visitar. Foi-me passado pela Joana que o recebeu – assim como os demais autores – da curiosa, instigante e agradável sem-se-ver. Um desafio de listas e, ainda mais, listas de livros, na minha mão corre sempre dois riscos: ficar demasiado extenso e – assim – tedioso; ou tornar-se uma declamação do óbvio. Procurando não me estender decidi fazer um mosaico. Nem todos, nem poucos, nem só os melhores, nem apenas os desconhecidos. Respondo, então, a ti, Joana, onde nos encontramos e no que há a ver – quando e se tempo um dia aparecer. Adianto que não foi fácil e talvez algo falte, minha estante reflete minha vida e ambas, estão, hoje, uma bagunça.  

Se a metáfora se expande, já se sabe que estou de rastros

1 — Existe um livro que lerias e relerias várias vezes?

Eu reli praticamente todos os livros que tenho na estante e também alguns que li na casa de amigos, nas bibliotecas públicas, nas livrarias... um livro tem  que me desgostar muito pra que eu não torne a ele. Há livros que já li mais de dez vezes como Ligações Perigosas (Chordelos Laclos), A Insustentável Leveza do Ser (Kundera), O Assassinato no Expresso do Oriente (Agatha Christie), Iaiá Garcia e Memórias Póstumas de Brás Cubas (ambos do Machado de Assis). Estes vivem sempre à mão, acompanham-me em viagens. São livros de garantia, sabe? Caso os novos não caiam bem eles sempre servem de tira-gosto. Agora mesmo releio Toda Mafalda do Quino (tirinhas valem?) e Para Uma Menina Com Uma Flor do Vinícius de Moraes (este eu sempre releio pra pensar que um tanto a mais de ternura é sempre possível).

2 — Existe algum livro que começaste a ler, paraste, recomeçaste, tentaste e tentaste e nunca conseguiste ler até ao fim?
Não gosto de largá-los e costumava terminá-los sempre mesmo à custa de bocejos ou incompreensão. Hoje, o tempo sendo um bem mais escasso e tendo eu melhor noção disso, deixei-me vencer por tantos. Mas nunca os abandono na primeira tentativa. Deixo-os por perto na esperança de que fiquemos um mais pronto pro outro. Os que recordo agora: O Julgamento de Páris de George M. Taber (um livro sobre degustação de vinho, creio que me cai melhor fazê-la do que sobre ela ter narrativas), A Ópera ou a Derrota das Mulheres (Catherine Clèment) e o sempre tentado Ulysses, dizem que há uma melhor tradução agora. Tentarei de novo.

3 — Se escolhesses um livro para ler para o resto da tua vida, qual seria ele?
Tentaria negociar perguntando se toda a obra da Agatha Christie poderia ser considerada um livro só e era isso que levaria. Se a resposta fosse negativa ficaria com Os Irmãos Karamazov. Talvez não seja a melhor história e nem a mais agradável construção, mas tem um número interessante de personagens e nomes cambiáveis pra ocupar a imaginação. A Bíblia também não ia mal, especialmente para me entreter com Judite, Rute e Ester.

4 — Que livro gostarias de ter lido mas que, por algum motivo, nunca leste?
Todos que não li. Especialmente os que estão na tua lista, Joana, e na do Zé. Os que estão na tua e que não li, pelo evidente motivo de que os que li também me agradam e muito. Os do Zé porque, embora em convergências esparsas, quando elas há, são intensas.

5– Que livro leste cuja ‘cena final’ jamais conseguiste esquecer?
Tenho muitos preferidos: começos e meios e fins e frases que ardem quando não se espera. Gosto dos dois pontos no lugar do ponto final em Uma Aprendizagem ou O Livro dos Prazeres; é talvez o mais inusitado fim que me acompanha. Gosto também da fala final em Quando Teresa Brigou com Deus de Alejandro Jodorowsky. Não me perguntou, mas eu digo assim mesmo, as melhores aberturas, empatadas: Cem Anos de Solidão de Garcia Marquez e Memórias Póstumas de Brás Cubas.

 6– Tinhas o hábito de ler quando eras criança? Se lias, qual era o tipo de leitura?
Eu não lembro de nenhuma época de minha vida em que eu não gostasse de ler. Tudo que me caía nas mãos, o que eu entendia e o que não entendia. Por volta dos oito anos tentei ler O Castelo, de Kafka, julgando que ali haveria princesas e sei lá mais quê que habitam torres. Não obtive sucesso em encontrar nenhuma Bela Adormecida. Mas, no correr dos dias, era Monteiro Lobato, Turma da Mônica, revistinhas do Disney, a Enciclopédia do Estudante e um enorme livro azul com biografias. Eu adorava. Havia uma coleçãozinha de contos e crônicas chamada Para Gostar de ler e outra SeteContos Setencantos que também não me bastavam. Algum Pedro Bandeira. Marcou-me muito: O Menino de Asas de Homero Homemfazia parte da Coleção Vaga-Lume que também devorei o que me chegou.  Li um monte sobre mitologia grega. E as revistas de esporte que chegavam em casa, claro. Gostava daqueles livrinhos de faroeste, tamanho bolso. Lia também livros de “adultos” sem saber o que lia, só pelo prazer das letras. A Carne de Júlio Ribeiro assim como Inocência (Visconde de Taunay) foram vítimas dessa fome. E os livros de José de Alencar também me chegaram cedo, já que lá já estavam: Senhora, O Guarani e Diva, recordo como se fosse hoje a voracidade dos doze anos.

7. Qual o livro que achaste chato e mesmo assim leste até o fim? Por quê?
Triste Fim de Policarpo Quaresma do Lima Barreto. Achei chatíssimo em todas as vezes que o li e o li pelo menos três vezes. Por que? Porque eu SEI que é bom, vejo-lhe a estrutura, o ritmo, a sagacidade. E me irrita profundamente não ter a sensibilidade de gostar.

8. Indica alguns dos teus livros preferidos.
Tudo, tudinho delas três: Marguerite Duras, Clarice Lispector e Jane Austen. Mas, para nomear: A Doença da MorteÁgua Viva e Persuasão. O Machado de Assis, completo. Para afrontar o Pedro Norton, Moby Dick. Os que já citei, claro: A Insustentável Leveza do Ser, Ligações Perigosas, Para Uma Menina Com Uma Flor, Toda Mafalda, Quando Teresa brigou com Deus, Os Irmãos Karamazov, Cem Anos de Solidão.
E também, uns mais, outros menos consagrados: Capote e seu A Sangue FrioInfiel (Ayaan Irsi Ali); Morangos Mofados do intenso Caio Fernando AbreuPente de Vênus da nova e corajosa Heloísa Seixas assim como A Máquina da Adriana FalcãoLord Jim (Joseph Conrad); Sexo com Reis (Eleanor Hermann); O Retrato de Dorian Gray (Oscar Wilde);  Rumo ao Farol (Virginia Woolf); O Pão Nu (Mohamed Choukri); O Homem que via o trem passar (G. Simenon); O Sol também se levanta porque não pode faltar um  Hemingway,  O Grande Gatsby (Fitzgerald); Um morto na plateia (Ellery Queen); As Horas Nuas (Lygia Fagundes Telles). Gosto de Adélia Prado, muito. O Bukowski, em uma noite de fumaças: Crônicas do Amor LoucoDrummond Manuel Bandeira, sem peso e sem medida e um Quintana de Bolso.  Era uma vez o amor, mas eu tive que matá-lo (Efrain Meina Reyes), se não houvesse outras boas razões, pelo menos pelo título. Nelson Rodrigues, o que lhe apetecer: peças, contos, novelas e, claro, as crônicas de futebol. O Luis Fernando Verissimo é para se ler a toda hora e em qualquer lugar. Despretensiosamente, mas há leitura melhor?
Dois absolutamente imprescindíveis: Grande Sertão: Veredas de Guimarães Rosa e A Menina MortaCornélio Pena - que calha de ter ouvido falar justamente em seu cemitério, Joana.

9. Que livro estás a ler neste momento?
Uma grande salada, entre lendo e relendo: A Escola de Frankfurt de Role Wiggershaus, a trabalho; Orgias do Verissimo, para rir; A metafísica dos tubosAmélie Nothomb,; um presente de uma amiga querida que chegou de além mar e que pra ela foi trabalho mas pra mim tem sido interessante aprendizado não só de conteúdo mas de forma e a Joana bem sabe que livro é, O Inimigo de Deus, de B. Cornwell, já pela terceira vez - porque é preciso diversão e que boas as cenas de batalha (gosto tanto a trilogia As Crõnicas de Arthur como d’ A Busca do Graal); Waaall – Dicionário da Corte do Paulo Francis, pra me lembrar do que já foi e de como reclamar; 49 contos de Tennesse Williams em um projeto muito particular; Carne e PedraSennett – mais trabalho e Sobre os Escritores de Canetti, por intensa curiosidade. 

10. Indica dez amigos para o Meme Literário.
Nem todos os que aqui frequentam gostam de memes, alguns gostam mas estão sem tempo e por aí vai a lista de impeditivos. Mas um desafio assim eu não poderia deixar de passar para:
Jussara, do Palavras Vagabundas, por motivos óbvios;
Peterson Quadros, do Vinhetas Cotidianas, por pura curiosidade;
Lu, do Menina no Sótão, porque escreve e por certo convergiremos na Austen;
Keila-sem-tempo, do Atitude do Pensar, porque não me fará a desfeita de deixar de responder.
Rita, do Estrada Anil, que não responde memes mas vai fazer esse pra trazer a Isabel Allende que eu esqueci de colocar.

Leiam, também, as divertidas e interessantes respostas da Turmalina, tanto mais interessantes porque tão diversas das minhas.´


Esqueci de dizer que um dos meus preferidos livros será o que o Manuel lançará (pois é preciso que o faça) com os textos do Expresso. Essa linda esquina que ele encontrou entre o agora e o sempre.


16 comentários:

Rita disse...

Mesmo que você não tivesse me indicado!

Thanks!

Rita

Long Haired Lady disse...

amiga intelectual é assim! me dá orgulho! rs

Palavras Vagabundas disse...

Lu,
Juro que vou fazer, por que gosto de memes inteligentes e não os que parece albúm de menina-moça da década de 50.
bjs
Jussara
PS: Te aviso

Caminhante disse...

Respirei aliviada por não ter sido indicada! Seria uma tarefa herculea responder essas coisas. Uma única ressalva ao que você escreveu: eu odeio a Mafalda. Eta criancinha chata!

Joana Vasconcelos disse...

Fantásticas respostas, Luciana ... como era de esperar! Gostei muito da variedade de autores e génersos, acho que temos isso em comum. Fiquei grudada - é assim que se diz? - com a quantidade de livros e autores brasileiros que nao conhecia (com excepção de O Guarani e o Sítio do Picapau Amarelo ...). Há tempos prometi a mim mesma que não acabaria este ano sem ler, pelo menos as Memórias Póstumas de Brás Cubas, tenho-o já aqui no monte dos prementes, à espera da sua vez no meu tempo livre. E também Clarice Lispector e Guimarães Rosa. Mas e os outros, tantos outros, meu Deus! Estou, como se diz aqui, completamente feita!!!

Danielle Martins disse...

Isso não foi desafio!!!!
Você consta no meu currículo! kkkk
Beijinhos!

António Eça de Queiroz disse...

Fiquei imaginando você de oito anos às voltas no Castelo..., que por acaso é para mim o melhor de Kafka.
Agora... Luciana, por favor, me diz: QUE É 'A METAFÍSICA DOS TUBOS'?!...

Rosa Lopes disse...

curiosa, vc conseguiu fazer as escolhas em paz?
Lu, fiquei boba com a variedade, alguns me servem de dica.
Bj

Fabiana disse...

Oi Luciana!

Passei pra fazer uma visita! Eu sou lá do palavra borboleta!
Adorei seu post com a sugestões de leituras. Amo ler e agora sei que compartilhamos vários dos títulos que sugeriu.
Quer uma idéia? Tem um site chamado good readers. Lá vc pode colocar todos os livros que leu , está lendo ou pretende ler. Colocar em uma widget linda e compartilhar no seu blog. (Eu já fiz!!!)


Um abraço pra vc e muitas borboletas!

Fabiana

Caso me esqueçam disse...

affy, que humilhacao, vou nem comentar. eu sou muito indisciplinada pra ler. basta dizer que comecei meu primeiro romance em frances e deixei o livro de lado quando faltavam 30 paginas pra acabar. ele olha pra mim todos os dias. agora vou retoma-lo porque quero ler um outro que se chama "a morte eh meu trabalho" sobre um alemao que serviu a ss durante a segunda guerra. camilo leu e adorou e eu sou LOUCA por historias da 2gm.

Caso me esqueçam disse...

1 — Existe um livro que lerias e relerias várias vezes?

li e reli varias vezes o diario de anne frank. é absurdo dizer isso, mas identificaçao profunda e a cada leitura eu vejo algo diferente...

2 — Existe algum livro que começaste a ler, paraste, recomeçaste, tentaste e tentaste e nunca conseguiste ler até ao fim?

o morro dos ventos uivantes. cheguei três vezes na metade, trouxe ele pra frança, mas acho que é caso perdido.

3 — Se escolhesses um livro para ler para o resto da tua vida, qual seria ele?

sem duvida alguma, cem anos de solidao. quem leu, sabe porque.

4 — Que livro gostarias de ter lido mas que, por algum motivo, nunca leste?

o segundo sexo, porque procrastinar é meu nome. :/

5– Que livro leste cuja ‘cena final’ jamais conseguiste esquecer?

eu tenho a memoria de um peixe. o unico final que veio a cabeça foi o de crime e castigo e de forma meio torta. ok, proxima pergunta!

6– Tinhas o hábito de ler quando eras criança? Se lias, qual era o tipo de leitura?

nao chamaria de habito hehehe mas eu lia mais que as outras crianças, o que nao significa muita coisa, ja que brasileiro nao tem habito de leitura. é como hoje, eu leio mais do que a media, mas nao posso de maneira alguma dizer que leio muito (nem que tenho habito de leitura), principalmente depois de posts como esse. e eu nao me orgulho disso.

7. Qual o livro que achaste chato e mesmo assim leste até o fim? Por quê?

madame bovary foi tortura chinesa. li até o fim porque ja havia tempos que eu queria ler o livro e porque nao gosto de deixar livro pela metade, mas ô coisa dificil!

8. Indica alguns dos teus livros preferidos.

a insustentavel leveza
o iluminado
lolita

9. Que livro estás a ler neste momento?

ulysse from bagdad - eric-emmanuel schmitt

Peterson Quadros disse...

Luciana,
Eu fico impressionado com o que você faz! O Borboletas é uma torre que não finda. Sobre o post da segunda...Que miscelânea de um ser complexo e, claro, óbvio, naturalmente, encantador que você é. Atualmente faço dos Blogs a minha literatura. Encomendo um só livro por mês em português. Pode parecer triste, mas degusto lentamente, assim como se faz com um vinho caro.
E você me indica o Vinhetas?! Fiquei vermelho igual a um pimentão. Adorei o “por uma curiosidade”.
Poxa, realmente muito obrigado, por tudo!

Turmalina disse...

Ah,como gostei de todas as suas respostas, vieram-me como aquele bate papo gostoso, que vai noite adentro numa mesa de bar sob o clarão da Lua e com a brisa do mar refrescando-nos os ânimos. Também gosto de Toda Mafalda , Para Uma Menina Com Uma Flor e todas as construções de Quintana. E agora vou ter que ler Quando Teresa brigou com Deus :o)
Beijossss

Atitude do pensar disse...

Lu, que pedido deliciosamente interessante.
Vou me esforçar, tá!?
Mas vi tantos livros por aqui que fui me perdendo entre eles.
Claro que há aqueles em que me encontrei, os que nasceram de Milan Kundera é sempre um desses.
Eis um trabalho prazeroso para o fim de semana: Cumprir o desafio.
Abraços enormes

Ruy Vasconcelos disse...

belas escolhas, luciana. bastante diversas. algumas surpreedentes, como cornélio pena. outras personalíssimas, como o 'iaiá garcia', esse estranho romance, híbrido, de transição.
quanto ao 'ulysses', talvez na próxima geração surja um bom tradutor. mas as coisas andam melhores para joyce aqui no brasil. há um gaúcho chamado donaldo schüler, que tem feito um trabalho decente.

no mais, obrigado por compartilhar leituras tão ricas...

bjs.

Joana Faria disse...

Adorei a lista, Lu!
Só fiquei tristinha de não ver Mark Twain. - Huckleberry Finn está na minha lista com certeza.
Acho que vou fazer também, pode?

Beijos!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...