domingo, 6 de março de 2011

É Assim Que Nasce, by Rita

 
Aprendi outro dia que lagartas mudam de pele diversas vezes rumo à fase adulta. Do momento em que quebram a casca do ovo e a devoram, desde que devoram também a folha que abrigava o ovo, algumas espécies trocam de pele um sem-fim de vezes até que adotem a versão que um dia ressecará e se transformará em crisálida. Pensei que algumas pessoas são assim porque experimentam, ousam, alternam, desafiam, permitem-se e assim vão crescendo vida afora, acumulando vivência até compor a pele que melhor lhes abriga. Por exemplo, a pessoa pode ser poeta, mãe, amante, viajante, doida, calada, lutadora, ombro; pode gostar de tudo isso e colher um pedacinho de cada pele e, por fim, compor um mosaico bem bonito para a derradeira, aquela que a acompanhará até a grande metamorfose. Conheço uma borboleta que deve ter sido lagarta assim. Tenho cá comigo que se a escolha das peles for boa, a chance de se ter asas bonitas é imensa. Como no caso dela, por exemplo.

Imagino a lagarta que ela foi. Imagino do que são feitas as peles que experimentou, de onde veio tanta matéria prima para asas tão generosas - eu poderia escrever asas tão bonitas, e seria a mesma coisa. Fico imaginando em que momentos se moldaram essas asas fortes que ajudaram a romper o casulo e nos  presentearam com presença tão... rubra. Em que momento nasceu a borboleta?

Gosto de pensar que podemos nascer muitas vezes, a cada aprendizado, cada passagem, cada avanço ou cada queda. Somos outros todos os dias. Eu mesma já nasci tanto: quando me apaixonei, quando meus filhos nasceram; quando entendi aquele texto, finalmente; quando joguei pro alto - nossa, nasci tanto aí; quando dei um basta; até quando desisti. Então imagino que assim também seja com a borboleta que nasce sempre que descobre, sente, vibra. Tudo bem, entendo que há que se escolher uma data, porque é preciso ter festa. Mas até que chegue o dia 12, vou ficar aqui pensando que essa borboleta traz em suas asas esse brilho todo porque soube compor bem sua pele, construiu uma crisálida boa, toda de sorriso vermelho, e se alimentou do melhor que lhe tocou. Juntou tudo, costurou bem bonito, enroscou-se nesse tanto de sentimento bom e um dia, quando se espichou, viu que tinha em si o vermelho mais vivo e que nunca passaria despercebida. E aproveitando-se disso, que tinha nascido borboleta e que todos a notariam, saiu por aí espalhando sementes boas, porque é isso que borboleta faz.

A Borboleta nasceu para mim quando descobri sua escrita vigorosa, num dia em que ela me borboleteou e me trouxe aqui, nesse blog vivo. Mas sei que essa foi só uma das muitas estreias que ela faz enquanto voa por aí. É bom de ver, adoro quando ela pousa na minha estrada e me dá carinho, amizade e papo bom. Gosto de vê-la crescer, cada dia mais assanhada, cheia de mundo pra voar. E é tão bonito pensar que ela nasceu assim, espichando as asas que ela mesma ajudou a fazer enquanto tinha outras formas. Tem a cara dela: ser bonita e se espalhar por aí. É assim que nasce, essa menina.

Felicidade, linda. Pra você, todo dia. 


Rita escreve lindamente no Estrada Anil

8 comentários:

Long Haired Lady disse...

faço minhas as palavras da rita!
beijo

Borboletas nos Olhos disse...

Rita,
quando tive esta idéia dos textos, nunca,nunca, nunca pensei que pudesse ser assim, tão comovente. Achei que seria bonito, claro, porque todos vocês escrevem tão lindamente. Não pensei que alguém relacionaria tão direta e lindamente o tema a mim e a meu aniversário. E todos estes desconhecimentos fizeram com que este presente fosse das coisas mais bonitas que já me aconteceu. Eu quero te dizer obrigada com esta música, porque né, em algum momento eu devo ter feito uma coisa boa de verdade pra receber carinho assim. Beijos
http://www.youtube.com/watch?v=paxG0phxIfU&feature=related

Danielle Martins disse...

Que lindo presente!
É verdade, nascemos todos os dias... pra isso é preciso morrer... é uma pena o que perdemos na morte...

Bjs!

Menina no Sotão disse...

Lembrei-me aqui do casulo que descobri no jardim de casa ontem. Está lá e quero muito acompanhar seu ritual, já o fiz outras vezes e é algo mágico e poético. As farfallas me encantam desde os seus movimentos até a sua decomposição porque a beleza é tão momentânea que dura pouco e se esvai. E o que perdemos de verdade? Eu acho que não perdemos, apenas acrescentamos a ilusão de que aquele voo é pra sempre.
bacio

regina disse...

Amen!!!! Vc usou as palavras da maneira deliciosa que sabe fazer pra traduzir nosso sentir!!!
Essa borboleta linda encanta, mesmo quem nao a conhece de perto!
Beijos!!!!!!

Glória Maria Vieira disse...

A Rita, assim como você, me emociona... E vocês duas juntas, PRONTO!:~

Pois é, Dona Luh! Dia doze, né mocinha?! Vamos que vamos! /vou tentar fazer algo que você, realmente, mereça, amor.

saudade de passar por aqui e me emocionar contigo. :~

HG disse...

parabéns, Rita... lindo texto!
Vc merece Borboleta!

Lilian disse...

Cartinha para uma borboleta.


Coisa mais linda, rica, poética e adjetivada até não mais poder!

Acho que toda mulher (toooda, não sei, mas seria bom se assim fosse) já pensou, um dia, na vida e no significado metafórico das borboletas. Porque embora tudo na natureza tenha lá, seu encanto, muito maior é a alegria de pensar em bichinhos coloridos que voam de flor em flor do que naquele que tinham sido num passado qualquer - assim meio acanhado, vagaroso, desengonçado...

Eu tenho um monte de borboletas, sabe? Roupas,colares,prendedores de cabelo com borboletas. Quando aqui cheguei pensei, a princípio, que as borboletas em seus olhos tinham a ver com piscadelas rápidas, aquelas coisas apaixonadinhas. Achei lindo! Depois descobri que não tinha sido essa, exatamente, a intenção, mas continuo achando que a paixão te traiu: seu espaço ganhou carmim, a escrita tem ares confessionais e sua simpatia certamente apaixonará aqueles que a cercam.

Acabo de ligar para a Rita, pedi que lhe mandasse um livrinho extra que tem em casa. Será um presente singelo, minhas linhas são muito despretensiosas. Mas ficarei honrada em saber que "Mulherzinhas" podem descansar na casa de "Borboletas".


Feliz aniversário! E feliz dia da mulher, também. Clichezinho básico, mas quem viveria sem eles...

Carinho,

Lilian.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...