sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Ranzinza? o/

Foto Daqui
Um post curtinho, pra variar. É só pra dizer que eu não gosto do James Cameron. Pronto. O mundo dele mudou com esta declaração? Nada, nadinha, nem um dólar caiu do seu bolso. Pois é, o meu mundo também segue indiferente ao sr. Cameron. 

É que eu e ele não convergimos sobre cinema (sendo que ele é famoso e rico e trabalha nisso e eu sou só uma pitaqueira lisa com tempo livre pra escrever apaixonada por filme). O que eu quero e espero num filme não está, nem em doses médias nas suas produções e o que mais me irrita vem em doses intoleráveis. Eu não vou ao cinema pra ver efeitos especiais. Ok, eles podem estar lá, ter até alguma utilidade, mas não são a razão do meu ingresso. Eu não vou ao cinema apenas para ver belas imagens (claro, quando elas acrescentam ao roteiro como No Tempo das Diligências a conversa é outra). Sei não, mas acho que personagens rasos é a especialidade do Cameron (ok, alguém vai me jogar na cara a tenente Ripley, mas o personagem ganhou sua carga mesmo foi no primeiro filme, né, direção: Ridley Scott).

Eu gosto de boas histórias. E, pra falar só dos mais badalados, nem Titanic nem Avatar me convencem neste aspecto. Titanic é todo grandioso, espetacular, como uma grande queima de fogos de artifício que aprisionam o olhar mas não dizem absolutamente nada. Kate Winslet está bem (sempre, né, ela é muito boa) e acho que não há mais nada a dizer. Açucarado, óbvio, circular. Antes de conseguir ver todinho de uma vez, eu devo ter dormido umas três tentativas. Ai e aquela canção insuportável repetida ad nauseam?

E a cruza de Pocahontas com Smurfs? Ah, não. Explosão de verde e azul e tal mas, tirando a belezura do cenário - e natureza nem é tão minha praia assim - o que é que fica?

1) Uma visão simplista dos conflitos: selvagem bom X mundo desenvolvido mau
2) Uma visão paternalista onde o cara mau se apaixona, se torna bonzinho e vai salvar todos os demais. Ah, tá, tem uma mocinha valente. Bobagem, em 1900 e pouquinho já tinha até filme de faroeste com mulheres protagonistas.
3) Uma ode à religiosidade sem reflexão (ou aquele mantra na frente da árvore lhe parece outra coisa?).
4) Uma besteirada sem um bom diálogo, sem uma cena clímax, sem uma reviravolta relevante, nada que justifique o pagamento do salário do roteirista
5) Um discurso esvaziado sobre o politicamente correto onde tudo parece ter uma única causa para cada efeito e, claro, há uma única saída pra situação (Aleluia? Aleluia, irmão!)

Avatar é previsível, cansativo, repetitivo, oco. Se eu quiser ver bela natureza, vou à praia. Se eu quiser ver bela fotografia, tem Sebastião Salgado. Se é redenção pela fruição estética, eu escuto uma ópera. Mas ver mais uma produção do James Cameron, só se me pagarem muito bem.


PS. Já Woody Allen, céus, que beleza é esse homem trabalhando, jisuis! Um filme por ano e, como se repete por aí, até um mau WA é melhor do que a média das produções do ano. Nos filmes dele o que não falta é bom diálogo, reviravoltas e clímax, atores dirigidos à perfeição. Qualquer dia falo sobre ele aqui.


PS2. Fui ler por aí e encontrei o Dudu, que (uffa, finalmente encontrei alguém) também não gostou do filme. Ele disse isso aqui.


ATUALIZANDO
Eu curto cinemão. Curto hollywood, pipoca no balde, entretenimento. Só assim, de cabeça, listo os recentes: infiltrados, 300, homem de ferro, sherlock holmes...vi e me diverti em todos. Mas ser entretenimento não implica em abrir mão do essencial de uma atividade. E, babys, roteiro é essencial no cinema. Se fosse só belas imagens, ia pra uma exposição de fotografia ou coisa parecida. Então, né, eu implico mesmo com a idéia de não ter um tantinho de consideração pelo seu ganha-pão (no caso dele ganha-brioches) e fazer filmes abaixo da média com roupa de gala, tanto efeito só serve pra ofuscar o obvio: não tem nada a oferecer. 


12 comentários:

Juliana disse...

Olhe, não vi nem quero ver Avatar. Não me aparece atraente. agora, depois de ler seu post, ainda menos.

Quanto ao Titanic... bem, eu vi umas sete vezes , chorei sem parar quando o jack morre e tive um fichário com a cara do leo di caprio.
Mas, veja bem, eu tinha 13 anos quando aquela chatice estava no cinema.hehehehehe

Acho que pior que a Celine Dion, é a Sandy cantando a versão em português daquela música chata, cuja letra sei de cor até hj. =)

Júlio César Vanelis disse...

Madrinha... Eu não gostei muito de Titanic... Realmente, é chato... Só não dormi a primeira vez que vi pq era uma criança, e criança normalmente faz bagunça quando o filme tá chato...
Já Avatar eu não achei tão chato, até gostei. É muito bonito o filme, e o legal é que vc não precisa pensar pra ver, é só ficar olhando as imagens e pronto. Por isso, concordo com tudo isso que você disse sobre o filme: previsível, vazio, oco... Como quanquer filme estritamente comercial. Ele é bonito, atraente aos olhos, pq a massa quer comprar isso, e o Mr. Cameron quer ganhar dinheiro... kkk...

Um abraço, Madrinha... Até om próximo

Belos e Malvados disse...

Ai Lu, não tem como comparar Cameron com Woody Allen. Não é nem questão de estilo é de intenção mesmo. Você assiste os filmes do primeiro, se diverte e esquece assim que sai do cinema, como noventa e nove por cento dos blockebusters norte-americanos. Mas acho que a gente pode se divertir com esses filmes sim. Não dá prá levar a vida tão a sério.

Long Haired Lady disse...

nem vi Avatar...
a musica da celine quase me fez desisitir de ver Titanic, mas era uma historia sobre um fato real, e todo aquele fuzuê...fui ver num dia que nao tinha mais filas.
adoro cinema, nao me ligo em lance de direção, as vezes vou so pq gosto do(a) artista, rs.
me perdou querida mas estou tirando uma birra pessoal com o woody allen, acho que por isso ele é tão atormentado! hahahaha

beijos!

HG disse...

Também me cansei em Avatar e fui dormir... Fiz melhor negócio!!!

Dona Mila disse...

Assim como qualquer criança-grande-com-DDA, não consegui mais prestar atenção no resto do post, não concatenei NADA com NADA depois do "E a cruza de Pocahontas com Smurfs?". MELHOR descrição dos personagens EVER! hahahahahahahhaha

Vou rir sozinha disso pelo resto do dia. :)

Gui disse...

Olha, querida, sobre Titanic eu até concordo, mas eu gostei de Avatar.

Acho que tudo é questão de entender o propósito do filme. Existem filmes que não foram feitos pra gente pensar, mas pra assistir e se divertir. Avatar é magnânimo nisso, discordo que ele seja chato ou pedante. É oco, porém. Se Mr. Cameron queria levantar uma discussão sobre natureza e aquecimento global, que faça um documentário, por favor.

As imagens são belas e é até um tanto poético. Mas é isso. Sua proposta era essa. Não dá pra entrar na sala de cinema e esperar uma reflexão digna de Black Swan ou Edukators.

Beijoca!

Palavras Vagabundas disse...

Lu, também não gosto do Cameron, mas...ele tem seus méritos para a indústria. Avatar é uma bobagem mas elevou os efeitos visuais (que eu particularmente não gosto muito em qualquer filme) a outros patamares. E Titanic tem um roteiro bem bobinho, mas em termos de pesquisa e reprodução da época é irrepreensível, por isso entre outros Oscars ganhou o de direção de Arte. Tenho um livro só sobre a Direção de Arte do Titanic, é mil vezes melhor que o filme, rs
Mas nada disso é relevante para quem vai ao cinema para comer baldes de pipoca(rs) e se emocionar e se você é um aficcionado por cinema James Cameron é um diretor de quinta que só escolhe roteiros previsíveis.
bjs
Jussara

Caminhante disse...

Onde é que eu assino?

Atitude do pensar disse...

De Titanic só tenho uma lembrança: fui assistir Cidades dos Anjos, cinema vazio, adorei...todos estavam assistindo Titanic.
Assistimos Avatar - eu e o ex-barbudo, ele adora efeitos especiais -, ele é tão mínimo que nem tenho nada a declarar.
Gosto de cinema, sou cinéfila, mas prefiro mesmo é casa cheia, amigos, baldes, copos e, filme. O último assim: A Mi Madre le Gustan las Mujeres
Perfeito!!!

Mari Biddle disse...

Mas mulé, o cabra é canadense e tava aplicando pra cidadania americana quando os americanos elegeram uma vez mais o Bush daí, o cara chutou o pau da barraca e não quis mais a cidadania! Isso conta!

E no filme TODAS as mulheres estão em cargos de liderança. TODAS!

Bjs e não me unfolla!

Dona Lô disse...

Vi Avatar com meu filho em casa, e ele adorou. Meu filho tem 6 anos!
Eu não gostei do enredo, realmente previsivel - até comentei no blog.
Titanic: até gostei dos efeitos, mas detesto aquela melação "oh Jack". Fora que eu nunca gostei do DiCaprio, nem quando eu era adolescentinha.
E a música é um pé no saco.
Agora, o cruzamento de smurfete com pocahontas foi a pérola!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...