sábado, 26 de fevereiro de 2011

Essa Tal Felicidade

Este post seria melhor escrito pela Joana*,
quem sabe um dia ela o faça.

Atenção: o post agora está aqui, no Biscate Social Club.


* A Joana é admirável na sua escrita e é especialmente talentosa para traçar biografias, sejam infames como a Margaret Campbell, sejam admiráveis como Guilhermna Suggia ou uma de suas louváveis Joanas.


11 comentários:

O Divã Dellas disse...

Adoro biografias.
Adoro histórias de pessoas que não passaram nesse mundo, mas sim, mudaram esse mundo, mesmo que tenha sido um pedacinho apenas, mas mudaram (pra melhor).
Vou correr atrás do filme.
PS: Eu não conhecia a Gladys.

MUITO OBRIGADA!

Cinthya
http://odivaadellas.blogspot.com

O Divã Dellas disse...

Adoro biografias.
Adoro histórias de pessoas que não passaram nesse mundo, mas sim, mudaram esse mundo, mesmo que tenha sido um pedacinho apenas, mas mudaram (pra melhor).
Vou correr atrás do filme.
PS: Eu não conhecia a Gladys.

MUITO OBRIGADA!

Cinthya
http://odivaadellas.blogspot.com

Palavras Vagabundas disse...

O que mais admiro em gente como Gladys é a enorme capacidade de doação e desapego.Não sei se seria capaz.
bjs
Jussara

Rafa disse...

Há forças que mes espantam... mesmo!

Bj

Júlio César Vanelis disse...

Eu não conhecia ssa história... Por mais que hajam criticas, como você mesma citou, não se pode seixar de reconhecer que essa mulher dedicou a propria vida aos seus ideais... E o que tem de feio nisso? Nada... Pelo contrário, é simplesmente admirável...
Madrinha, sempre com boas indicações... xD

Um grande beijo... Até o próximo

Lílian disse...

Sabe, borboleta, eu não tinha o hábito dos blogs, é uma coisa bem recente. E que linda essa história... E que tão graciosa sua forma de contá-la!

Por um lado sou absolutamente suspeita para falar, porque sou cristã assumida (embora não possa jamais negar o papel desempenhado pela própria instituição igreja em afastar as pessoas da fé genuína, por causa de mesquinharias notadamente humanas - mas a vida tem sido assim), mas é porque o amor de verdade é, de certa forma, "desrespeitoso" dentro de seu infinito respeito:porque quebra barreiras, invade fronteiras,transcende culturas, lança luz em lugares que,aparentemente, não pediam por ela - mas é impossível acendê-la sem modificações do que existe ao redor.

Eu entrei aqui para falar de outra coisa. Mas vou deixar para um outro dia, porque o que vi foi demais por hoje. No mais excelente sentido da palavra demais.

Grande abraço!

Long Haired Lady disse...

ah como invejo essas pesoas desbravadoras, corajosas, que realmente fizeram a diferenca! ( nao sei usar o cedilha desse computador! hahahaha)

beijo!!!

BsVoxx disse...

Borboleta,

Amei o texto. Nao consegui para ate finalizá-lo ... é lindo ver historia de pessoas assim que amam o proximo ... com minha concepçoes protestantes acho lindo alguem que vive a mensagem de Cristo muito mais do que um evangelismo formal.
bjs

HG disse...

Que bela história! Que belo exemplo!!!
bjsssssssss

Mulher Vã disse...

A Gladys me fez lembrar o Joseph Climber!
Brincadeiras à parte, que historia arrepiante a dela, e que talento pra conta-la.

Eu sou a Vã e gosto demais de borboletas.

Beijo

Jaque disse...

Que linda história!
Que força! Que garra! que mulher!!!

Borboleta... Publiquei um texto teu no meu blog http://jaqueraupp.blogspot.com/2011/02/quero.html ... Espero que não se importe!!

Estou te seguindo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...