sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Presentes ou Para Testar Sua Paciência

É um post enorme.
Respirar é para os fracos.



Chegou hoje. Chegou sem aviso, sem anúncio, sem alerta. Chegou: um cartão de Natal em holandês. Ai, que delicadeza! Amiga grávida, vivendo num mundo lindo, adaptando-se a língua, ao frio, à rotina, fazendo mestrado e ainda lembra de me mandar um cartão de Natal. É amizade, borboleta, vão me dizer..EU SEI!

E eu vou flanando pelos blogs amigos e no post de comemoração dos 1500 posts do 50 anos de filmes quem eu vejo lá, linkada e denominada amiga? Eu, euzinha. Delicadeza feito letra, consideração, afeto, respeito, tudo junto num coquetel que me deixa tontinha de felicidade.

Daí eu estou lendo as avaliações/sugestões dos alunos sobre a disciplina e encontro coisas assim: " é visível e, se pudéssemos dizer, 'sentível', a vontade que a professora tem de nos ensinar (...) as aulas foram excelentes, memoráveis e únicas." E tem mais: "a gente sempre espera, ou nunca espera, encontrar alguém, alguma coisa, que sustente nossas idéias, existindo para além da nossa imaginação. Pra mim, aluna universitária cheia de balões na cabeça, esperando encontrar a forma certa de aprender, confiando no próximo professor depois de um que me decepcionou (...) se eu não tivesse permanecido na sala, ido no primeiro dia, esperado, não teria o encanto de ver uma professora de carne, osso e unhas vermelhas. E, agora, é de dar nó na garganta, de querer resistir à gripe que fosse, à tempestade que viesse e, enfim, todo dia de quarta, assistir às aulas de psicologia. Qualquer coisa era muito se viesse dela, qualquer coisa era tudo, também. E é isso que ficou em mim. Uma vontade de ir por aí, por lá, por ela, ao lugar certo, ao lugar que é grande e comporta pensamentos e ideais. Aprendi psicologia, aprendi a gostar de estudar, de ler mais. Até aqui tem valido o inimaginável e eu sei que vai valer para o resto da vida." E o que eu faço senão pensar? Que delícia, que assombro, que tocante. Bom, gente que sabe dizer obrigada dessa forma sensível e verdadeira é muito, muito bom. São jovens, borboleta, se impressionam fácil, esquecem fácil, também...EU SEI!


E em outro blog que sabe fazer conta de coração (ué, não tem gente que faz conta de cabeça? ela faz de coração, né), tem um selo me esperando,lindo, que só pede que eu fale dez coisas sobre mim em forma de poesia...(tá aquié só clicar, certo, so sad?)


E, então, chega na minha sala uma linda cesta cheia de chocolates e umas rosas lindas e foram mandadas pelas minhas orientadas de TCC e estágio e eu penso: oh, céus, que generosidade. Mas é resultado do trabalho, de um ano de interação, borboleta, repetem-me..EU SEI!

Aí uma pessoa que admiro muito escreve assim sobre o meu texto: "o meu mundo ganhou uma geografia nova" (está aqui pra vocês não acharem que eu estou exagerando). Já pensou o que é alterar a geografia do mundo de alguém (sem ser filho, pai, amante, marido...)? É gentileza, borboleta, não é de verdade. EU SEI! 

Gente, eu sei que é amizade, generosidade, delicadeza, sensibilidade juvenil...EU SEI que é gentileza. É por isso que é tão importante. Eu fico feliz e toda desmanchada das pessoas se darem ao trabalho de serem gentis comigo. Porque podiam não ser e são. Porque o mundo seria um tantinho menos terno e belo se eu não estivesse pra ele serem gentis comigo, entendem? É o lance da Adélia: sentimento é a coisa mais fina do mundo (quanto mais eu repito mas tocante acho).

Eu queria ter um ar blasé. Queria ser mais cool. Ficar menos emocionada e sentida com todas essas coisas. Mas esse é meu espírito, esse é o espírito com que vivo e que se acentua na época das festas. Não dá pé ser blasé, não posso ver um amontoado de gente ou uma boa desculpa e já estou me enxerindo e participando da festa. Assim, o Natal. Não tem jeito de eu não gostar do período natalino: muitas confraternizações, troca de presentes, beijos e abraços, muita gente e muita comida, muita cerveja (que ninguém é de ferro). No meio dessa agitação toda sempre rola um ou outro amigo secreto. Gosto. Eu gosto de presentear. Gosto de receber presentes. E gosto de brincar.

Dai que, passeando nos blogs queridos, vi este post da Juliana (Fina Flor e um amor de garota) em que ela generosamente se propõe a presentear um de seus leitores. Tem tudo: presente, animação, gentileza, brincadeira (só não a cerveja, mas essa eu garanto bater um copo aqui enquanto a xará bate o dela lá). Eu sempre digo que idéia boa é pra gente socializar, divulgar, repetir (dando os créditos, of course), claro que não tive escolha: planejei logo fazer igualzinho. Mas o tempo foi passando, os assuntos surgindo, os selos chegando e a idéia ficando guardada, quase amarelada na gaveta da memória.


Mas, hoje, novamente visitando a Juliana (e viva ela!) eu vi o link pra um blog que "nunca antes na história desta borboleta" tinha sido visitado, o divertido Salada Mista. E, lá, vi uma idéia que também é interessante e criativa. 


Na dúvida, sem saber qual das duas idéias escolher, agi com maturidade: fiquei com as duas! Então: espírito de Natal por aqui. É, de certa forma, um jeitinho de dizer às gentilezas da vida meu muito obrigada.



Resumindo: farei sorteios. Dois, pra ser mais exata. No dia 23 de dezembro, que sou dramática. Um dos sorteados ganhará um livro como mimo de Natal (que só chegará em janeiro, hohoho) e a outra pessoa sorteada nos presenteará com um post sobre o que quiser. O que quiser mesmo (só não pode ter conteúdo que me obrigue a mudar a indicação do blog para conteúdo adulto porque tenho a maior preguiça). O post será publicado também em janeiro, no dia 22.


Como não sou tão versátil ou democrática como a Juliana eu mesma já escolhi o livro que será sorteado. O livro se chama InfielÉ o relato autobiográfico da somaliana Ayaan Irsi Ali. Quando eu o li, doeu-me tanto que, às vezes, em noites de mais reflexão, choro. Choro por ela, choro por mim, choro pelas impossibilidades (mas não quero a pessoa presenteada triste, aimeudeus). Se a sorteada já tiver o livro não tem problema, ele será substituído pelo "A Distância entre Nós" (não, apesar do título, não é um livro da Danielle Stell). Se o vencedor(a) preferir, ainda pode escolher "A Arte da Ficção" de David Lodge. Se e somente se, a ganhadora for a Caminhante a gente discute um livro mais hardcore.


Para concorrer é muito fácil, é só deixar um comentário neste post contando alguma coisa da sua relação com o blog Borboletas nos Olhos (tipo: como conheceu, o que gosta, o que não gosta, porque vem aqui, o que gostaria de encontrar aqui, sei lá, use a imaginação). E, claro, dia 22/12 vem aqui ver se ganhou...vou precisar do endereço de quem ganhar para enviar o mimo. Joana, Amanda, Luci (e demais mulheres e homens queridos)...pessoas de outros países também podem participar.

Atenção! a pessoa se inscreve automaticamente nos dois sorteios: tanto o de ganhar o livro como o de escrever o Guest Post.


Uffa, alguém chegou até o final?

24 comentários:

Ana disse...

Que lindo o que sua aluna escreveu!
E feliz aqui que to conseguindo comentar :)
Beijos!

Gui disse...

Você é linda. Sinto saudades.

Só precisava comentar isso.

Beijos

Menina no Sotão disse...

Por onde começo? Comento o post ou participo da "brincadeira"?
Bem, quanto ao seu blog, eu o conheci numa dessas "viagens" além blog, quando um simples link te chama a atenção por causa da afeição para com determinada palavra: borboleta, cujo som me encanta, mas não em português. Gosto de "farfalla" cujo som representa aquele ser encantador que baila no ar e voa de encontro as ilusões da vida.
Enfim, quando vislumbrei aquele link, lembrei-me do vôo de uma pequena e singela farfala em seu vôo bem diante dos meus olhos e cliquei para descobrir o mistério que me aguardava. Ao chegar aqui encontrei as palavras de alguém cujo nome pra mim seria a partir daquele momento "borboleta" e sempre que volto aqui, tropeço em sorrisos e ilusões só minhas que se confundem com as suas porque quando leio o outro, tomo emprestado meia dúzia de sentimentos e tantas outras coisas mais. Enfim, é isso...
Eu sei: você sabe.
Bacio

Juliana disse...

Quase disse amém , depois desse " rosário" desfiado... kkkk

Conheci o Borboletas lá na Rita. Sabe o que mais me chamou a atenção no blog? Essa vermelhidão toda! Sou a moça das unhas vermelhas, das sapatilhas vermelhas, vermelho é a minha cor! Daí, tive que gostar de um blog todo " vermelhaço, vermelhante , vermelhão".

Esse a Distância entre nos tem lá biblioteca da escola ,mas nunca tive muita vontade de pegar pra lê.

Eu nem vou me dar ao trabalho de criar esperanças, porque eu NUNCA sou sorteada pra nada de bom. kkk Mas a minhas inscrição tá feita.

Palavras Vagabundas disse...

Luciana,
não me lembro bem como cheguei aqui, mas me lembro do dia que você postou sua foto ao lado, eu pensei "ela tem o sorriso do texto dela", não me lembro se comentei isso na época, mas tenho certeza que já me referi ao sorriso em mais de uma ocasião. Sei que todo mundo tem dias melhores outros piores, mas me sinto perto de você por achar que você é das minhas:"a gente vai levando essa vida". Vai levando, driblando, rindo ou chorando mas sempre tocando e tentando fazer a diferença para quem nos cerca. Seu post de hoje comprova isso, você faz a diferença paa seus alunos, seus amigos, seu filho...
Hei...borboleta não chora!
Se eu ganhar o post, juro que escrevo sobre qualquer coisa (aí, meu Deus) menos sobre livros.
bjs carinhosos
Jussara

Amanda disse...

Que lindos os depoimentos das suas alunas!! Vc deve ser uma excelente professora para tantas pessoas se darem o trabalho de escrever coisas tão bonitas.

Sobre o sorteio, eu acho que eu deveria ter uma leve vantagem em relação aos concorrentes, porque dia 22 é meu aniversario!! E sabe, sou daquelas crianças traumatizadas que ganhavam um presente so de niver/natal, aquela coisa toda e vc, borboletinha, tem a chance de curar meu trauma, olha que responsabilidade! :)
Bom, eu cheguei na borboleta por causa dos comentarios carinhosos que vc sempre deixou la no blog da Rita. Sempre tão fofa, tão verdadeira, que vim aqui dar uma espiadinha e não sai mais. Beijão!

so sad disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
so sad disse...

eu tinha tudo para não parar aqui, tenho medo de borboletas, não me pergunte a razão, não sei, mas desde criança é assim, corro quando vejo uma.
do teu nome, apesar de bonito tenho pessimas recordações, sempre que vejo num perfil eu pulo, rs.
mas não sei porquê vim aqui, e nos teus outros e fui ficando e hoje temos uma sintonia que não consigo com pessoas que convivo.
por que eu mereço o livro? Infiel, preciso explicar?

querida, teu link nao funcionou...tu tá me enganando!!!
hahahaha

beijo!

Clara Gurgel disse...

Bom,a primeira vez que tomei conhecimento que existia "uma borboleta flanando por aí",foi lá no blog da Lola. Sempre prestava atenção aos seus comentários coerentes e sobretudo muito bem escritos.O "namoro" com o seu blog foi acontecendo aos poucos e se intensificou bastante depois do post que vc fez para o concurso sobre o feminismo, também lá do blog da nossa querida Lolinha. De lá para cá,a admiração pelas coisas que vc escreve,só cresceu. Hoje, é imprescindível dar uma passada por aqui sempre a procura de novos posts. Pego minha moringa e venho beber da tua fonte de inspiração que me sustenta durante todo o dia. Obrigada por me revigorar,e espero que vc continue sempre voando,Borboleta irrequieta!Cada vez mais alto e em toda a sua plenitude,em toda a sua intensidade. Nós que "não temos asas" estamos aqui para admirá-la!

HG disse...

Borboleta amada... Que bom que gostaste do cartão! Foi com amor e celebrando nossa nova família.

Qto aos seus alunos... eu não podia esperar outros depoimentos. Sei quem é vc e como és especial.

Cheguei aqui devagar... as vezes passava, mas como não tinha o hábito de blogs, esquecia. Hoje, o teu blog é fundamental pra mim. Não passo um só dia sem lê-lo.

Ainda bem que abriste inscrição para pessoas de outros países... aliás, tua carta nunca chegou... acho que vc desistiu de reenviar, né?! Me inscrevo!
Beijos, linda!
Te amo!

Caso me esqueçam disse...

rapaz, que post cheio de coisa boa! fiquei feliz como se fosse comigo. isso eh muito bom! e "sentível" foi otimo hahaha

::

nas numerosas visitas à estrada da rita, percebi uma borboleta. borboleta insistente, sempre tinha um comentario por la. depois vi que a borboleta gostava de andar por aih. era borboleta aqui, ali e, porra, quem eh essa? nao lembro como foi exatamente, mas teve um dia em que eu vi que ela deveria fazer parte dos meus blogs preferidos. e foi legal, porque eu nao me decepcionei com o andar da carruagem. cada descoberta que faço sobre ela, seja uma foto, seja sobre seu nome, seja sobre sua profissao (como a de hoje!), me faz querer agradecer à minha curiosidade pela invasao do blog alheio. e, porra, xara, é massa encontrar mulheres assim. que bebem, que pensam, que escrevem, que riem... eh bom falar isso pra tu, oh! nao devia ter esperado um sorteio pra faze-lo.

Caso me esqueçam disse...

"Quando eu o li, doeu-me tanto que, às vezes, em noites de mais reflexão, choro. Choro por ela, choro por mim, choro pelas impossibilidades"

sao essas coisas que me fazem vir aqui sempre...

Rosa Lopes disse...

Oi Luciana!
Acho que não poderia ter chegado em melhor hora!
Engraçado como os posts que me apresentam a vc são tão significativos.
Conhecer gente querida é bom, gente que é capaz de fazer com que outras mostrem o seu melhor é muito legal, quase um dom.

Fico feliz por ter descoberto mais uma nessa rede de meudeus, quero entrar no voo dessa borboleta também.

Um abraço forte e beijinho de borboleta pra vc.

Mari Biddle disse...

Oiê, eu cheguei aqui através do blog da Lola e nunca mais parei de te visitar.

Como todo mundo corro contra o tempo para ter tempo de ler seu blog. Você escreve lindamente e fico meia borocôxô quando não consigo acompanhar.

Continue com esse sorriso contagiante aí do lado.

Beijocas!

Júlio César Vanelis disse...

Oi madrinha...
Disculpa não ter vindo aqui antes, mas estava sem internet...

Adorei a ideia dos sorteios, e é claro que vou participar!!! O que eu tenho a dizer sobre esse blog?? juro que vou tomar cuidado para não escrever um post aqui, mas lá vei... rsrts

Bem madrinha, eu cheguei aqui no seu blo em uma época muito complicada. Vi seus comentários no blog do seu marido (o meu grande amigo e padrinho Gui), e resolvi fazer uma visita. Eu estava muito confuso na época, era o momento das eleições, e eu queria votar na Dilma, mas estava desconfiado ainda. O post que vc escreveu sobre ela tirou as minhas dúvidas, e eu tive certeza!!! Depois, eu fui voltando, e acabei me encantando comn as cores, com as flores, com a delicadeza dessa borboleta linda... Você pousou no meu coração, encantou os meus olhos com suas cores e com sua leveza, depois disso não pude mais deixar de te visitar. Você virou uma amiga, por mais que eu nunca sequer tenha ouvido sua voz, ou tomado uma cerveja com você. Só as suas palavras e seus sentimentos foram suficientes para que eu me levasse, e ficasse por aqui... Eu leio o seu blog madrinha, porque ele me faz bem, e porque eu te vejo nele, do meu jeito, mas vejo... E você é linda demais!!!

Um grande beijo madrinha!!! Vc sabe que eu te adoro... Até o próximo post...

Wonderwoman disse...

São gentilezas... são. mas são também elogios conquistados e merecidos, aposto! Aceite-os, sempre. Acredite. Sem se deixar levar por eles.. e continue contando tudo, assim desse jeito que a gente se identifica.
beijo

Glória Maria Vieira disse...

Mais uma vez, ando ausente, né?! Mas enfim, Luh...
Encontrei essa borboleta no meu jardim. Foi lá... deixou um comentário gentil e me cativou em cheio. Retribuí a visita e não mais parei de retribuí-la, porque essa Luciana tem me acrescentado muito. Arrancando algumas lágrimas, sorrisos... E muitas vezes tem falado por mim...

Atitude do pensar disse...

Lú, não é tão gentileza, pois é fácil, leve, gostoso e saudável estar aqui.
Compreendo seus alunos.
Nessa minha vida enquanto graduanda tive o prazer de ganhar dois lindo presentes: A Eliane que me inspirou a buscar ser a melhor antropologa que puder e a Karina que dia a dia me leva a ser parte do sou, sem reservas.
Abraços gentis...rsrs

Dona Mila disse...

Olha, se vc é tão inspiradora ao vivo quanto é por aqui, não esperava menos gentileza dos seus alunos. :)

Sobre o Borboletas, cheguei aqui depois de um comentário seu no Cuspindo. Visitar seus blogs (mentira, já passei pelos outros mas o que bato ponto é esse aqui) já virou tão rotina quanto ler o jornal no café da manhã; um dia sem e parece que falta alguma coisa, sabe?

Rafa disse...

Eu gosto do Borboletas porque ele é a sua carne, tem o brilho do seu sorriso (que eu já vi mesmo!) e derrama um pouco de você pelos meus dias.

Quero ganhar os sorteios! rs

Bj

Liliane Gusmao disse...

Acho que motivos para vir não faltam! Faltam motivos para não aparecer! Suas palavras doces, sua gentileza é que trazem de volta toda a gentileza que voce recebe!!!
mil beijos

Mari Moscou disse...

Pra mim o mais legal foi, além de conhecer o blog pelo concurso da Lola (e adorar, se não me falha a memória iclusive votei em vc, hehe), te encontrar e conhecer melhor no grupo da blogueiras feministas. :)

Também quero ser como você um dia - orientadas, presentinhos e muita mas muita emoção!

Feliz Natal! :)

S. disse...

Escrevi isso há muito, muito tempo atras, mas hoje, cabe tão bem com meu momento como para você, nós e tudo o mais:

"A ternura acordou cedo. Brincou de ser aproveitada. Se prendeu junto com meus cabelos quando levantei, parece. Pois apesar (e por causa) das horas já passadas, ainda sussura escorregando em minhas orelhas. Esta ternura tem barulho de cachoeira. Ou será que foi ela que brincou de balanço no sino-dos-ventos lá do terraço? Sei que tem uma cor assim de luz filtrada. Cor de não sei que horas.E serelepe feito abelha sem ferrão zumbe em círculos. Range com rangido gostoso de rede e é fofinha como almofada.
Correndo na minha frente, antes de mim atendeu o telefone. E manou beijos e abraços e fez cafuné na minha cabeça que saudosava do povo de lá. Me lembrou que um dia volto, sem pressa nem aperreio. Se espreguiçou voltando comigo para a cama, preguiçosa.
Tentei eternizá-la assim, brincando com palavras doces. Ela quase que se rendeu, insinuando-se poesia na minha prosa. Então como à um livro já lido, quis pô-la em prateleiras. Espetá-la, borboleta. Depois pendurá-la, quadro-troféu na minha parede verde. Para que nunca mais me deixasse, essa ternura. E eu pudesse olhá-la nos olhos. Entendê-la. Pedir-lhe a mão, enamorada.
Fugiu ainda agorinha, a danada. Fazendo-me cócegas. Escorrendo-me morna. Gotejando na ponta dos meus dedos dos pés. Escutei-a rindo e orvalhando a grama lá fora.
Mais tarde. Dia desses. De vislumbre. Mesmo que rápida e delicadamente como à um beija-flor, espero ainda encontrá-la."

Te amo, sabes...
E sim, a Lú é vc...

Cáh disse...

Nossa vai ser dificil, a concorrência é desleal! rs

Mas, não só pelo sorteio, acho importante te dizer que na verdade, nem me lembro como a conheci. Sei que Borboletas sempre me trazem coisas boas, e por isso tenho uma tatuada nas costas. Borboletas nos Olhos não poderia ser coisa ruim, então vim. Eu gosto daqui porque é simples e sincero, e gosto de vc, mesmo sem conhecê-la no real, porque teus coemntários tem uma voz imaginária que escuto quando os leio. É tão bom. Você é doçura pura, amor e fragilidade, numa força fora do comum, pode?
Deixo meu carinho, ao teu blog, as tuas palavras que acalmam e curam.
Um Grande Beijooo!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...