domingo, 12 de dezembro de 2010

Enquanto Espero...

Há muitas esperas em mim. Meus olhos se perdem nos futuros que não chegam e eu engasgo com as palavras. Há mais samba no encontro que na espera, cantava Chico. Venha logo, em corpo, imagens, palavras. Chegue em mim, acorde-me no meio da noite, acalme meus temporais. Desfaça os laços da camisola ou os nós da história, mas chegue. Venha. Depois vá, se quiser, há sempre estradas a serem caminhadas. Só pouse aqui mais esta vez e me solte as amarras.

Comecei três posts neste domingo e não terminei nenhum. O que chegou mais pertinho deve sair amanhã e se chamará Um Ano Perfeito. Comecei também uma - como direi - saga - com as mulheres no banho de Degas. Não sei se funcionará, mas me agrada. Mas, hoje, resolvi reler-me e descobrir o que ainda sinto de tudo que já disse. Esse texto que resgatei diz-me admiravelmente. Eu ainda acho envelhecer muito bom. 

Estou envelhecendo e acho isso muito bom. Na minha ótica, só envelhece quem ainda está vivo...Gosto de ficar velha, gosto do meu viver que me conduz, de mãos dadas e em passo suave, a isso. Gosto, admiravelmente e sem restrições, do que tenho vivido. Gosto de envelhecer porque envelhecer é a vida passando em mim. E eu quero ficar velha com jeito de velha. Explico: quero viver cada fase da minha vida com o que ela me traz de beleza e ensinamento. 


Na minha infância eu era justamente isso: criança. Brincar de carimba, joão atrepa, esconde-esconde, correr na rua, dormir cedo, ler revistinha em quadrinho. Sonhar o dia seguinte de brincadeiras e fantasia. Na minha adolescência: ai, quantos sonhos de grandeza e morte, tantos amores, sonhos, planos, inseguranças, rebeldias...ou seja: adolescente. E por aí vai: gosto de ser adulta, ter responsabilidades, trabalho, deleites, prazeres adultos, traquilidade, paciência. Gosto de ser adulta, fazer meus planos, rir de mim mesma, discutir meus assuntos, decidir sobre meu desejo, meu corpo, meu rumo. Enfim, dá pra entender, né? Então, não quero ser uma velha de espírito jovem. Quero ser uma velha de alma velha. Espírito velho. 

Olho para a árvore ao lado e consigo ver a beleza não só das folhas que já se foram e dos frutos que viram outras árvores, mas a beleza atual do galho vazio e resistente. Quero as preocupações e os prazeres de quem envelheceu, de quem viveu, quero mais um pouquinho do que se ganha quando se pensa e sente sobre o que passou. Quero experiência virando história.

Gosto das rugas e do brilho diferente no olhar que a idade nos oferece. Enternece-me aquele jeito meio cansado meio saciado de quem viveu o que tinha pra ser vivido com entrega e verdade. O certo é que a gente envelhece. Neste instante em que estou escrevendo, no momento em que alguém me lê. O tempo está passando como só ele sabe – determinado e insensível – e eu estou envelhecendo. Os dias passam mais rápido, os meses, os anos passam vertiginosamente e eu envelheço. A mulher que sorri nas fotos de hoje não se reconhecerá no curioso caminho de rugas de alguns anos adiante e o rosto enrugado olhará estas fotos com curiosidade e ternura... como eu pude ser, um dia, assim?

Eu envelheço e sentirei dor nas costas e me cansarei com facilidade ao andar. Envelheço e envelhecerei, se tudo der certo, e cada vez mais procurarei alguém pra falar como o nosso tempo era melhor, mais belo e doce, porque enfeitado com saudade e memórias. As músicas, os filmes, as piadas, as histórias, como eu, envelhecerão. As que gosto, claro. Vou envelhecer e ver morrer amigos e parentes que amo e que fazem de mim justinho quem sou. Vou sofrer. Vou sentir o peso da vida toda. Vou chorar e as lágrimas traçarão caminhos complexos no meu rosto que já não será liso nem macio. Eu vou envelhecer e espero ter filhos e netos ao meu redor, vez em quando, fazendo zoada, cansando, visitando, bagunçando. Quero cozinhar e acolher, chatear com estórias mil vezes contadas. Eu vou envelhecer e quero deixar partir todo dia e o dia todo, todos os que amo, pra que também eles possam viver bem e ter prazer em envelhecer.

Sim, eu envelheço. Quero envelhecer. Anseio pelo meu velho segurando a minha mão e olhando com os olhos que vêem tudo misturado: quem eu fui, quem sou, quem serei se ainda viver mais um ano. Espero rugas se misturando em sorrisos e lágrimas, em vida vivida junta, corpos enrugados juntos, almas velhinhas ora rabugentas, ora bem bacanas. Quero apoiar minha cabeça branca nos já frágeis ombros do meu velho, quero chamá-lo assim: meu e velho, porque quero que ele esteja vivo, também envelhecendo. Quero cadeiras de balanço pra gente ver passar a vida que anda vivemos. Quero recostar-me e poder dizer com tranquilidade (se ainda lembrar, é claro) as palavras de Mário Quintana: antes, todos os caminhos iam, hoje, todos os caminhos vêm... a casa é acolhedora, os livros são poucos e eu mesma sirvo o chá para os fantasmas...


21 comentários:

Júlio César Vanelis disse...

Envelhecer é uma virtude, é viver mais um pouco, porque q vida é boa, sim :D

"Viver é foda, morrer é difíciu"

Lindo texto madrinha, como sempre, né?? rsrs

Um grnde abraço... Até o próximo

Menina no Sotão disse...

Sim, todos nós envelhecemos. Isso é fato. Mas a velhice pra mim é uma doença que atinge alguns, principalmente aqueles que brigam com as rugas, com os dias e o mundo inteiro, por dentro e por fora.
Acho que envelhecer é uma ciência, e a fórmula é desconhecida pela maioria.
Bacio carissima

Gui disse...

Não gosto da ideia de envelhecer. Me incomoda pensar que posso ficar completamente dependente dos outros de novo.

Enfim, admiro quem envelhece sob sua ótica :)

Beijos

Turmalina disse...

Eu tb gosto de envelhecer e de principalmente me desvencilhar dos outros. Sou à cada dia, mais eu e gosto disso.

Palavras Vagabundas disse...

Luciana, eu adoooorei fazer 50 anos, agora sou da terceira idade ou seja lá como chamam. Sou velha e posso fazer o que quero sem dar satisfação a ninguém, pensar e falar sem querer saber se vai causar pruido em alguém, porque você sabe, sempre tem alguém prá dizer "ela é velha!" É sou sim, adoro as rugas, adoro a passagem do tempo, adoro ir nadar com minha neta e só tenho a dizer, como Lupicínio:Esses moços, pobre moços...
bjs
JUssara

ALEX disse...

Gosto de envelhecer, mas tem alguns percalços...

E fico pensando assim:

Nada do que foi será
De novo do jeito que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre passará
A vida vem em ondas
Como um mar

Num indo e vindo infinito
Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente viu há um segundo
Tudo muda o tempo todo no mundo
Não adianta fugir
Nem mentir pra si mesmo agora
Há tanta vida lá fora
Aqui dentro sempre
Como uma onda no mar!

E se tudo isto não bastar não podemos, parar pois:
"Navegar é preciso; viver não é preciso"

Um cheiro

Alex Ramos

Rafa disse...

Hum.. eu preciso de tempo para tudo que "ainda não..." será que o tempo espera?

Bj

Anônimo disse...

A velhice so representa algo ruim para aqueles q quando alcançados por ela, percebm q sua vida passou e nao foi aproveitada.

Gosto d nao ter vergonha de meus cabelos brancos, gosto d falar pra quem quiser ouvir q envelhecer é otimo!!!

regina disse...

Luciana, querida, que bom que vc tem essa atitude diante do envelhecimento... Eu , ja acho muito dificil aceitar que os dias por viver talvez sejam menos dos que ja vivido, isso me deixa triste...Tenho vontade de ser eterna, sadia, alegre, saliente,sapeca, pra sempre...........

Belos e Malvados disse...

É como você mesma disse: Só não envelhece quem já morreu.

Atitude do pensar disse...

Quero a sabedoria para viver. Viver o tempo ao seu tempo. Viver a vida ao invés de querer a morte. Mas também querer ao morte ao invés da eternidade de carne e osso. Pelo ao menos não neste corpo.
Bem, sou melancólica e as vezes tendenciosa a não querer um determinado instante, mas em outro instante desejo simplesmente viver.
E é isso que mais gosto nos seus posts: O prazer, o desejo e alegris de simplesmente viver. Não que isso não seja suficiente. Afinal, as pequenas alegrias, isto é, na singeleza encontra-se a alegria.
Bjus!

HG disse...

Assim... até parece bom envelhecer! Acho que vc tem razão!
Esperando por Um Ano Perfeito...

Joana Faria disse...

Lindo e inspirador. Sem nenhuma das paranóias e medos que infelizmente eu sempre associo ao envelhecer. Ainda mudarei de opinião sobre esse assunto. Amei! Obrigada.
xx

Cáh disse...

envelhecer é tão belo. Pobre daqueles que não entendem...

suas palavras são inspiradoras, trazem paz, perguntas... coisas boas.

Um imenso beijo, ansiosa para o post do 'Ano' =)

Glória Maria Vieira disse...

Nossa!:~ Que belo!/chorei
Eu não tenho medo de envelhecer, sabe Luh?! Só não me sinto confortável com a ideia de que um dia não vou mais estar aqui... :~ Sei lá, né!?:/

S. disse...

envelhecer eu até quero, mas dá pra ser assim num estilo bardot, baby? amém!

Borboletas nos Olhos disse...

Gente,

como este post me eu alegrias...saber um pouco mais de vocês e o que pensam sobre a vida (e sobre a morte e sobre o passar do tempo!).

S., mim Sophia Loren, you, Bardot, ok?

Glória...não chora demais nem ri demais que causa rugas...ahahahhah

Cáh, é sempre um prazer ser lida por vc,

Joana, cada qual no seu tempo, né? Bjs

HG...e é bom pra caramba!

K., prazer é comigo mesmo...e claro que tenho minhas melancolias, mas são tão rasteiras que ninguém acredita,

DanDi disse...

Palavras sábias, de resistência em um mundo com tanta pressa de viver que espera ser eternamente jovem. Falido o anseio, por vezes esse ritmo violento nos impede até mesmo de viver.

Há uma grande virtude na perspectiva de envelhecer como você ilumina, é a de que somos parte de um processo contínuo e caminhamos por ele. Aceitar isso é chegar a uma maturidade que pode dar novos sentidos à vida.

Carrego pra mim agora estes pensamentos. Obrigado.

Tina Lopes disse...

Que texto lindo, Lu. Não tem a ver com a minha recusa ao envelhecimento, mas é admirável mesmo que se saiba envelhecer, não com resignação, mas com prazer. Eu de minha parte já comentei algumas vezes e repito: não tenho saudade do passado, tenho saudade de ter futuro. Mas deixa pra lá. Lindo texto.

Shuzy disse...

Se me refugio aqui, minhas eternas esperas doem menos...

Anônimo disse...

Suas palavras muy muy lindas!!. Pero son para cuando cumpla, al menos 55 años. No 38... Beijos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...