terça-feira, 23 de novembro de 2010

Fim da Violência Contra a Mulher - Dia 3

Terceiro dia de guest post da Semana de Ativismo Online pelo Fim da Violência Contra a Mulher. Quem já passeia por aqui a tempos já me viu falando da minha família e sabe que humor é o nosso esporte. Quer dizer, eles são especialistas em me fazer rir e eu em ficar com o diafragma dolorido nessa brincadeira. A convidada de hoje é minha irmã. Podem me acusar de nepotismo, mas ela não é prima de nenhum papa (que eu saiba). Se o Évio me inspirou para o mundo dos blogs a Lica foi quem criou o monstro (eu). Ela que me ensinou a criar meu blog, mudar layout, inserir vídeos e imagens e, às vezes, eu ainda a acordo de madrugada pra perguntar uma bobagem qualquer, tipo: como eu faço pra um vídeo caber na barra lateral sem ficar saindo pelo ladrão? A Lica é tipo gênio, tem um HD e um GPS na cabeça. Mas essa não é sua característica principal e sim o bom humor com que ela leva a vida. Esporádica nos seus blogs (que digam as meninas do Só Miolo de Pote), em 1997 ela tinha um chamado Eu Estou Pensando Em...que o blogger, revoltado pelo abandono, excluiu. Depois veio o Mãe num Minuto, em que ela reparte as alegrias da adoção do meu sobrinho fofo. Hoje em dia ela mantém (?) um blog chamado Imagem e Semelhança que é tudo de bom. Síntese e riso, vai lá, vai. Mesmo atribulada no trabalho e em processo de mudança, a Lica aceitou participar desta semana por aqui. Com um texto longe do politicamente correto ela agarra a fera pelos chifres sem (muito) medo das reações. Amigas que me frequentam, lembrem-se: a genética não é decisiva...

Meu post começa do inocente dia que aceitei o convite da borboleta (que esconde uma pimenta atrás de suas asas, mas depois escrevo um tratado sobre isso) para escrever na semana pelo #fimdaviolenciacontraamulher. Bonito isso, e aceito (bobamente).

Daí começa a semana e leio um super texto do meu amigo rubro-negro Évio, super focado e esclarecedor, tipo psicólogo paizão. Magnífico. Na segunda, somos presenteados com uma ficção uma lusitana muito mega-inteligente, mas muito mesmo. Não quero nem saber o que vão dizer, vou escrever meu texto antes de correr pra meu colchão, chupando o polegar e chorando pela mamãe...

Para quem não me conhece, sou irmã da borboleta. Uma lagarta desprovida do dom da palavra, mas também agraciada pelo riso frouxo. Ah, também sou arengueira (e isso vocês vão poder comprovar se conseguirem ler até o fim...). Gosto de escrever sobre nada com coisa nenhuma (e o gosto de escrever é um exagero, meu blog tá parado há mais de um mês). Enfim, neste meu ultra(passado) blog eu tenho um tipo de postagem que se chama “um pouco de tudo é quase nada”: são pensamentos, piadas, frases sobre um tema (ou não). E é isso que vou tentar aqui, fazer a minha coletânea sobre a violência contra a mulher. Qualquer piadinha infame que escapar não é mera coincidência, mas, feministas de plantão, relevem: não é minha culpa, é que eu só me sei fazendo piada.

Então, com vocês: Um pouco de tudo é quase nada: a violência contra a mulher começa antes do primeiro tabefe.

Tá, vou começar pelo humor. E na vou nem procurar muito, até a nata do humor já abusou da mulher:


Sem falar, nas piadinhas infames...
“Já que cada vez mais as mulheres estão indo em busca de seus direitos, bem que na volta poderiam trazer uma cerveja...”

O que é pior nas piadas, é que elas têm pé na realidade. Nenhuma piada seria engraçada se ela fosse 100% ficcional...

******

A questão do gênero, além de ser a festa dos humoristas, também dá um caldinho na política. Hoje mesmo a ministra italiana de Igualdade de Oportunidades renunciou porque, segundo a ministra, era discriminada dentro do próprio governo.

Ainda com a campanha presidencial na memória, não dá pra deixar de mencionar os rótulos impostos à nossa presidenta eleita, muitos deles oriundos do ser feminino. Foi taxada de incompetente, embora tenha participado do governo Top 5 de toda a república (pra ser modesta). Foi chamada de assassina de criancinhas, por defender a vida das mulheres que se submetem a abortos em “açougues”. Por várias vezes presenciei xingamentos à sua pessoa, boatos sobre a sua preferência sexual, como se isso a impedisse de ser uma boa política (homofobia e machismo, ninguém merece tanto preconceito). E mesmo assim, elegemos uma ex-guerrilheira, torturada, como presidenta do Brasil... Como nós, cearenses, gostamos de falar... "Ô Brasil véi macho!"

Apesar de você, como diria o Chico, as mulheres continuam buscando (não a cerveja, as oportunidades). Em Mossoró-RN, interior no sertão semiárido, temos prefeita e governadora (e, a partir de 1º de janeiro, prefeita, governadora e presidenta). Não que sejam todas boas gestoras, mas é um indício de mudança de mentalidade (ou todas elas são bem mandadas em casa)...

Ah, e pra melhorar a imagem do LFV diante da comunidade feminista...



******
As mulheres e as cores...
Não sei por que o feminismo aderiu ao tom lilás. Eu participei do dia lilás na campanha da Dilma. A logo do ativismo online veio tingida de lilás. O roxo de quem apanha vem nos mesmos tons... Será que... ? Não, não. Fui ao Google, que me levou à uma resposta mais politicamente correta.
Ainda bem que não foi rosa.
Aliás, sábia mesmo foi a comunidade GLBHTFSQRT, que escolheu o arco-íris. Melhor ser representada por sete cores do que todas as 18 consoantes...


******

Não dá pra falar de feminismo sem falar mal do marido. Embora seja a pessoa mais doce e gentil do mundo, o meu deu pra perder a paciência por besteira. Nada não, eu sou mais grossa que papel de enrolar prego, se preciso for. Tudo para mantê-lo na linha, ajudando na louça varrendo a casa nos fins de semana... Tomara que eles não entrem nessa de #fimdaviolenciacontraoshomens....


******
Dica de filme: assistam "o homem que fazia chover". O fofíssimo Matt Damon é um recém-formado advogado que, entre outras coisas, é super gut-gut com uma vítima de violência doméstica. 

Sinopse aqui.
******


Eu ia escrever sobre as mulheres e o mercado de trabalho, mas acho que a borboleta vai virar abelha e me ferroar... Algo do tipo, “meu Deus, minhas amigas feministas vão parar de me ler depois de hoje.” Quem mandou me convidar? Eu sou gente fina, a favor da mulherada (e nada homofóbica, pelamordedeus). Mas eu só me sei fazendo piada.




8 comentários:

HG disse...

Como é bom te ler Lica... Volta pro blog!!!!
Adorei-te em piadas....
Beijos

Palavras Vagabundas disse...

Irmã de borboleta, Lica, o assunto é sério mas nada que não se possa rir um pouco,`as vezes o humor é mais contundente.
js
Jussara

Júlio César Vanelis disse...

Oi Lica... Gostei das Piadas (obrigado pela parte que me toca ò.ó) kkkkk
Mas sério, a iniciativa é mais do que louvável... Continuem a combater a violencia contra a mulher, já chega de tanta gente morrendo por causa de intolerancia... Eu, depois que criei o blog, fiquei chocado com os casos de homofobia que eu, mesmo sendo gay, não tinha noção...
Tenho me tornado um cara bastante radical com relação a qualquer tipo de intolerancia em função disso... Por isso, estou adorando essa semana aquí no blog da madrinha!!!

Um abraço!!!!

Rita disse...

Oi, Lica, prazer! Ri com as letrinhas do movimento LGBetc... hehehe

Borboleta, estou com saudades de seus textos, mas você tem preenchido bem a lacuna com seus convidados de luxo.

Bjs pras duas!
Rita

Rita disse...

Oi. Tem entrevista com o Nicolelis aqui: http://www.viomundo.com.br/entrevistas/nicolelis-lanca-manifesto-da-ciencia-tropical-vai-ditar-a-agenda-mundial-do-seculo-xxi.html

Adoro. Cê também, né?

Bj
Rita

Amanda disse...

Uma familia da pesada essa, heim? Estou adorando todos os textos! Beijos!!

Riff disse...

Querida, adoro estar aqui e lê seus textos fortes e atuais. Uma delícia. Este tema é algo assim ainda muito polêmico. Saiba q. sou advogada e vez ou outra me deparo com alguma queixa sobre este tipo de violência. Não sou criminalista, mais estou sempre atenta a nossa LEI MARIA DA PENHA. Aqui no Rio de Janeiro,acredito q. "os homens" estão andando direitinho da linha,pq. senão esta lei vai com tudo pra cima deles.
Parabens pelo post.
Olha, ja virei sua seguidora p. não perder um só capítulo.
Bjitos mil.

Joana Vasconcelos disse...

Adorei conhecer a Lica!

Adorei o divertidíssimo texto: lembrei-me do Molière e do ridendo castigat mores (a rir se castigam os costumes ...)

E fico, claro, à espera do tal post com revelações sobre a Borboleta e o que ela esconde nas suas asas ... ;)

Um beijo para as duas manas

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...