segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Vermelho, Again!

Só é dar uma espiada por aqui que já dá pra saber. Vermelho é a minha cor. Já escrevi sobre viver e morrer em vermelho. O desejo é vermelho. O meu, pelo menos. Arde, queima, anseia. Vivo em vermelho, em hemorragias que se fazem palavras e caminhos.

A coragem é vermelha. A de tantos: Lula, Luis Carlos Prestes, Dilma Roussef, Damaris Oliveira Lucena, Dom Helder Câmara, Stuart Angel, Nelson Rodrigues Filho, Frei Tito, Iara Iavelberg. Tantos, muitos, coragem e sangue rubros.

O amor é vermelho, o meu pelo menos. Menina eu já tinha premonições de rubro. Sentia o amor como quem sente a vermelha batucada e não se sabe ao certo onde: no pulso? na garganta? Ah, nos ouvidos. Quando amo, escuto em vermelho. Meu amor é vermelho em agrados e arroubos, em chamegos e desassossegos.

A beleza é em vermelho: nas unhas bem pintadas, na rubra boca, no salto do sapato. É vermelha nos poás dos vestidos, nas lingeries mais provocantes, nas rosas dos apaixonados.

O sofrimento é vermelho no corte e na cicatriz, nos olhos que choram, nas feridas de guerra e nas lembranças dos embates amorosos, nas hemorragias internas.

O sabor da vida, em vermelho me chega: o tinto do vinho seco, o vermelho nos olhos quando a raiva é demasiada, o rubro na voz da Maria Callas que me arrepia a alma, a rapidez de uma Ferrari, as obras de Caravaggio, poesia erótica, dormir de mãos dadas com alguém, dançar nua tomando banho de chuva, rodopiar de olhos fechados, a carne quente e mal passada, o morango na boca meio doce/meio ácido brincando de ser gostoso. Minha vida é em vermelho.

A política me chegou, também, em vermelho. Lembro da primeira eleição para a Presidência da República e tantos nas ruas com o lenço vermelho mostrando, sutis, seu voto em Brizola. E as estrelas vermelhas do PT, ali, ao lado, indicando também o desejo de um caminho para os anseios dos trabalhadores. Eu me emocionei. Não votava, ainda, mas acompanhei pais, amigos, todos que iam votar, lá estava eu, pertinho, na fila. Desde então política pra mim é em rubro. Gostava muito da época em que andava, espalhafatosa, com blusa do candidato, bandeira na mão e jingle na ponta da língua. Participei de caminhadas, carreatas, comícios e toda forma de ajuntamento que se puder imaginar. Distribuo panfleto na rua, colo adesivos nos carros. Não sou boa em fazer campanha, sou exaltada, fico perplexa quando acho que os outros não conseguem ver o que pra mim parece tão certo e óbvio. Mas sou uma apaixonada, por isso permaneço.

Sofri em vermelho ontem e hoje. Uma tristeza de não termos conseguido eleger Dilma primeira mulher presidente do Brasil. Mas, agora, meu coração batuca o vermelho da esperança. Do trabalho. Pra rua, borboleta. Dizer a todos da esperança de mantermos o projeto de igualdade de direitos, de distribuição de renda, de aumento do número de empregos, de diminuição da miséria, de tantas conquistas lentas e significativas que me põem sorriso no rosto e festa na alma. Uma alma vermelha. Minha trilha sonora:



Excelentes análises ou apaixonados posicionamentos, não importa, estes textos são excelentes:

Ondas, do Blog Estrada Anil;

Pode vir quente que estamos fervendo, do Blog Escreva, Lola, escreva;

Marina Silva, sensacional, do blog Na Prática a Teoria é Outra;

Notas sobre a eleição, do blog Petit Journal de la Porte Dorée;

As 10 chaves da eleição no Brasil do site Carta Maior (muito, muito bom).


Agora alguém pode me explicar porque esse lixo ainda está circulando no Youtube? Um absurdo, aberração, imoral. Nojo, é o que me provoca.



6 comentários:

Insana disse...

Muito bem escrito parabens.

bjs
Insana

Rita disse...

Vumbora, Borboleta. E não é que esse foi o turno mais vitorioso da esquerda em todos os tempos? Contando governadores do PT e aliados, Senado e não sei se deputados também, demos uma boa limpada, espera-se. Portanto, mãos à obra. Tem um vido maravilhoso do Ciro aqui: http://t.co/k7RchtL Pra assistir e divulgar. Beijos!

Rita

Danielle Martins disse...

Calma borboleta! O segundo turno é nosso!

HG disse...

Fiquei VERMELHINHA de emoção com seu post!

Ah... não aguentei assistir "ao lixo" até o fim! Um nojo!

Peterson Quadros disse...

Sobre o video... Deixa estar... Teremos a nossa primeira presidente logo...
O texto ficou colorido, não no sentido de muitas cores, mas na diferenciação dos tons de vermelho que a cada cena você tão bem descreveu. Só posso aqui, mais uma vez, dizer obrigado pelo lindo texto em uma pacata terça-feira. Seja feliz...SEMPRE!

Borboletas nos Olhos disse...

Estou com sangue nos olhos, rsrs, com o tanto de absurdo que leio e vejo. Mas encontrar vocês aqui me deixa mais contente. Bjs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...