quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Falando Sozinha

Ontem
Foi assim: três dentes de alho. Gosto de descascar alho. Esquisito, tenho gostos esquisitos. Amassa, amassa, até que dêem tudo de si. Como num relacionamento, alguns diriam. Eu, não. Porque, segundo Lacan, amar é dar o que não se tem. Mas, voltando ao chá. Depois do massacre dos dentes de alho, passa-se a atenção aos limões. Dois. Pegue uma faca afiada. Muito. Deslize com vagar, fazendo força no primeiro instante pra romper a casca e depois mais leve pra cortar o sumo. Fatie. Não pense em caipirinhas. Não pense em caipirinhas (repita como um mantra, talvez funcione com você, comigo não adiantou... pensei, mas não fiz, juro). Pega o que você cortou, junta com o que você amassou e afoga em dois copos e meio de água. Acende o fogo. Isso é nostálgico? Um pouco. Mas gosto das labaredas e nunca tive medo de me queimar. Tampe, claro. É bonito quando começa a ferver e a tampinha começa a dançar. Ferve, ferve, até a água pegar uma corzinha esquisita e a cozinha toda ficar cheirando a alho. É pra beber morno. Argh, eu sei. Sem açúcar. Não vou disfarçar. Foi muito ruim. Primeiro, porque queimei a língua. Depois porque foi abrindo tudo por dentro. Coriza, coriza, coriza. O corpo reagia: queéqueéisso? o que foi que eu fiz? não mereço! desculpa! desculpa! Mas eu ignorei. Fui forte e bebi (quase) todo. Vamos ver como acordarei. A promessa é de ficar boa (quer dizer, com saúde, que boa eu já sou).

Hoje
Adoro promessas realizadas. Bom, não foi o caso. Mas quase. Garganta, ok. Febre, longe, longe. Mas meu nariz e a dor no corpo resolveram me atazanar mais um tiquinho. Aproveitei pra ler. Muita, muita psicanálise, feminino, gozo, etc. Aproveitei pra escrever. Procure, você acha, sei que acha. Descarregei a bateria do carro, ouvindo música. Falei com amiga Nanica até perder a sequência do pensamento. Ri, sozinha, lembrando conversas, coincidências, partilhas de revista de mulher pelada entre jovens meninos, formaturas, dores de cotovelo, distâncias. Recebi notícia de amigo querido sumido. Papeei com dr. Paulinho. Chip TIM abençoado.

Devaneio
E tem essa música. Do Jorge Aragão. Ok, todo mundo pode estranhar, fazer o quê? Às vezes sou assim. Então, ele canta (escuta, escuta, escuta) assim:

Sem lhe conhecer
Senti uma vontade louca de querer você
Nem sempre se entende as loucuras de uma paixão
Tem jeito não
Olha pra mim
Faz tempo que meu coração não bate assim

O que você vê quando você não me vê? Quero dizer, você me adivinha? Antecipa minha textura, gosto, cheiro? Sua mão faz de conta que e percorre caminhos imaginados no meu corpo que não está ainda? Você anseia? O seu coração bate mais e melhor? Você tem coração? Tem rosto? Boca? Olhos, pra eu me perder neles? Tem mãos de artista que me reinventarão pelo seu desejo? Tem dores e medos e planos? Tem saudades e vontades? O que você quer? De mim? Das minhas histórias? Onde você vai me encontrar? Em você? Em letras? No que você não vê? Tateie. Ache. Pegue. Venha. Quero. Pulsa.

PS na Madrugada - Está chovendo, chovendo, chovendo. Acredita?

10 comentários:

Nanica disse...

Eu te adivinho, você cheira a alho com limão KKKK
Borboleta, como lhe disse hoje, te invejo mortalmente. Estou gripada também, mas disso fiz um draaaama, não consigo fazer piada. Mas olha, quando li este post, ri que me engasguei de tosse misturada com gargalhada, sabe?

HG disse...

1-Tadinha... Mas passa, viu?!
2-Tendo gostado muito da ousadia...
3- Não gosto de Jorge Aragão, mas com o mesmo sentido, que tal olhar essa?!
Quem é Você ?
Simone
Composição: Isolda / Eduardo Dusek
Quem será que me chega
Na toca da noite
Vem nos braços de um sonho
Que eu não desvendei
Eu conheço o teu beijo,
Mas não vejo o teu rosto.
Quem será que eu amo
E ainda não encontrei?
Que sorriso aberto
Ou olhar tão profundo.
Que disfarce será que usa
Pro resto do mundo.
Onde será que você mora?
Em que língua me chama?
Em que cena da vida
Haverá de comigo cruzar?
Que saudade é essa
Do amor que eu não tive
Por que é que te sinto se nunca te vi?
Será que são lembranças
De um tempo esquecido
Ou serão previsões
De te ver por aqui... então vem!
Me desvenda esse amor
Que me faz renascer.
Faz do sonho algo lindo
Que me faça viver.
Diz se fiz com os céus algum trato
Esclarece esse fato
E me faz compreender.
Esse beijo, esse abraço na imaginação
E descobre o que guardo pra ti
No meu coração
Mas deixa eu sonhar, deixa eu te ver.
Vem e me diz: quem é você

Bjssssssssss

Dona Mila disse...

Preciso desse chá, mas tenho medo de tomar. Melhorou?

Lunna Guedes disse...

Adorei o seu post, mas confesso que jamais faria o que vc fez. Vou pra cozinha, massero gengibre, corto limão em cruz, açúcar para caramelizar numa panela funda. Folhas de guaco e um pouco de água. Misturo tudo e deixo ferver. Depois deixo esfriar e pronto. De colher em colher e eu fico melhor.
Agora, eu te imagino sim, viu? Moça silenciosa a morder um lapis enquanto digita, olhar na tela e na parede da frente, pés se movimentando e aquela risada solitária dizendo "eu sei bem o que irão pensar". Oras, é minha imaginação. rs
Bacio

S. disse...

gribei tb, acredita?

Danielle Martins disse...

espero que a gente não pegue gripe por blog!rsrs
Só você pra me fazer feliz hoje! te amo!

Borboletas nos Olhos disse...

Nanica, só posso dizer uma coisa: eca!

HG, perfeita, já vou tratar de enfiar em algum cantinho de post...

Dona Mila, yes.

Lunna, se não for de uma vez, não rola. Se bem que sua receitinha não parece desagradável ao paladar como esse horrendo chá. E que linda que sou pelos seus olhos, acho que vou querer ser sempre assim, rsrsr...

S., chá de alho....ahahahah!

Dani, te amo também e espero passar pra você só o vírus que nos faz doidinhas por blogs...

Lica disse...

bullshit

ALEX disse...

Bom gripe é um saco, eu que o diga, agora em relação a sua ultima parte do post, eu posso responder assim

Noite e dia se completam no nosso amor e ódio eterno
Eu te imagino
Eu te conserto
Eu faço a cena que eu quiser
Eu tiro a roupa pra você
Minha maior ficção de amor
E eu te recriei só pro meu prazer
Só pro meu prazer...

Turmalina disse...

Eu tenho um olfato super hiper apurado daí que eu e o cheiro do alho não combinados muito bem.Tomo minha parte em gengibre e limão :o)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...