quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Em dia de Scarlett


Scarlett O'Hara é um dos meus personagens preferidos. Gosto do seu jeito absurdo de lidar com a vida, sua determinação cega e sua ingênua surpresa ante os anseios alheios. Gosto muito. Gosto que ela não seja uma dama, porque eu passo longe de ser uma. Longe mesmo. Mas, vejam só, Scarlett queria muito ser como a mãe (e só quem leu o livro tem a exata noção da força, meiguice e calor que a mãe de Scarlett transmitia - Melanie representa um pouco isso, mas sem a mesma intensidade). Então, do que é mesmo que estou falando? Eu sou uma pessoa amorosa, pelo menos acho que sou. Gosto de gostar. Mas, puxa, sou uma estabanada no bem querer. Às vezes, eu queria me parecer mais um tantinho com a mãe da Scarlett. Com uma dama. E, aqui, não sei se ela consideraria um elogio, mas a Rita é exatamente assim, como penso que uma dama seria.Hoje ela nos deu flores. A nós, que gostamos de gostar dela. Foi doce. Mas também forte. Inteira. Admiro essa lâmina em seda enrolada.

Então, hoje, o que me faz feliz é pensar em mulheres que me inspiram. E as dividi em cinco grupos. Só pra fazer de conta, vagamente que ainda estou seguindo a regra: 05 coisas que me fazem feliz. Então: a) personagens femininas de livros; b) personagens de filmes; c) escritoras; d) contos de fadas; e) o povo lá de casa.

Nos livros. Capitu, claro. Já disse antes, digo de novo. Porque sim. Porque seus olhos são de ressaca. Porque soube seguir. Porque é um enigma e o que é uma mulher senão uma pergunta? Gosto também de Teresa, porque gosto de me imaginar menos Tomas. Delgadina de Memórias de Minhs Putas Tristes. Porque provocar amor é uma arte que me apetece. Alice, claro, correr atrás do coelho é a minha cara. E ela, Elizabeth Bennett porque uma boa fala é o melhor recurso que posso imaginar.

Nas telas. Bom, tem a Scarlett, né. E a Marquesa de Merteuil. Eu sei, eu sei, elas também habitam prateleiras de livros. Mas é que Vivien e Gleen Close conseguiram fazê-las tão perfeitamente que sequer consigo imaginá-las outras. Scarlett é desbocada, impetuosa, forte. E boba, tão boba. Politicamente incorreta. E a Marquesa, então, pior. Vilã, até. Mas que liberdade. Que consciência dos seus desejos. E que língua, meudeus. E eu gosto da Jessica Rabbit com todos aqueles peitos e curvas e ingênua devoção ao coelhinho. Ela sintetiza tantas divas do meu imaginário que nem sei. Sally Bowles, com suas canções, suas dores, seus amantes, suas unhas afrontosamente pintadas. E Amélie. Toda a doçura de Amélie.

Nas letras. Sem respirar: Clarice, Jane Austen, Marguerite Duras, Virgínia Woolf e Adélia Prado. Esqueci "alguéns"? Com certeza. Mas não posso nem pensar em mim sem elas. Sem lê-las.

Nos contos de fadas. A Madrasta da Branca de Neve. Sua maldade simples e direta. A doce Ariel e sua terna entrega do que tem de melhor. Bobinha, mas linda. Fiona, encantadoramente em outro lugar. Mãe do Bambi, incrível na sua ausência. E a Bela Adormecida, não tanto por ela mesma mas pela linda poesia Eros e Psique.

Na rua. Tem minha mãe. Quando eu crescer quero ser igual a ela, ou seja, ter muita gente que me ama e admira e ter um cara fofo totalmente doidinho por mim. Tem minha madrinha, que segura uma barra incrível já faz tanto tempo que eu quase não me lembro como era quando não era assim. E faz isso com um humor e uma amorosidade constante. Tem a minha Tia Socorro que ri e bebe e ama e é livre e livre e querida e especial. E tem, na minha lembrança, duas avós tão diferentes em seus comportamentos quanto se pode ser e tão iguais em sua força, ternura, independência, humor, gentileza. Uma, avó de propaganda de margarina, cabelo branco, óculos, riso quente e tapioca sempre. Outra, riso largo, cachacinha, escorregar nas dunas, jogar sinuca. Mulheres amadas, mulheres amantes.

É isso aí. Saber de mulheres assim me faz feliz. E faz querer. Querer ser, também. O quê? Ainda estou descobrindo. Mas é bom e belo. E terno. E forte. E tanto que dói. Scarlett que sonha em ser Dama. Dama que sonha com Vagabundos. Gata de Rua. Sigo virando lata...

8 comentários:

Peterson Quadros disse...

Já li... hoje cedo...só que tenho que trabalhar, sendo assim o comentário, comentário só hoje a noite ou amanha de manha... Uma linda sexta!

HG disse...

A.M.E.I! Mas poderia acrescentar aí a Lu... Doida, estabanda, mas humana e que sorri tanto!!!
E nos faz tão bem...
Te amo.

HG disse...

*Estabanada...

S. disse...

Vc está entre minhas preferidas, viu?
amo, amo bem amado.

Rita disse...

Aí a pessoa tá no aeroporto e pensa assim: vou deixar o livro pro avião e vou dar uma olhada no Reader agora. Aí tá isso aqui. E minha cara de banzo de quem saiu de casa com o coração dobradinho em quatro partes sorri pela primeira vez no dia.

Bom dia.
Bj
Rita

Danielle Martins disse...

Que lindo! Quando mandei o meme não fazia idéia dos 5 presentes que você nos daria.
Ah! A Rita é mesmo um encanto, já me viciei no A Estrada Anil.

Beijos!

so sad disse...

A scarlett é uma personagem fascinante, li o livro e vi o filme varias vezes, em diversas etapas de minha vida, e ela continua atual!
a vivian leigh personificou-a divinamente.
beijo!

Borboletas nos Olhos disse...

Peterson, sabe que já me acostumei com suas palavras por aqui? Volte, volte, comente...isso me faz verdadeiramente feliz.

HG, te amo mais, te amo mais, rsrsrs...

S. amar se aprende amando. Bom, né?

Rita, nem sei dizer mais o tanto que gosto de você. Espero que tudo corra bem. Bjs

Dani, bom gosto esse meu né? E o seu meme foi mesmo inspirador.

So Sad, pois é, sou fã incondicional e um dia vou mandar fazer um vestido igualzinho àquele da cena de abertura (e outro igualzinho àquele vermelho). Bj

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...