segunda-feira, 16 de agosto de 2010

O Melhor do Rio

Não vou falar hoje do Flamengo, nem da Gávea, nem do Maracanã. Essas coisas, eu não as localizo no Rio, eu as tenho em mim, na carne, no sonho, no bem querer. Elas requerem vagar e precisão, coisas que hoje me escapam totalmente. Ainda estou embriagada.

Vou falar do melhor do Rio. Uma coisa de cada vez. Esse post ia ser uma enxurrada de palavras, de sensações, de imagens. Uma avalanche de impressões. Todo o Rio feito espelho de mim. Tudodeumavezaomesmotempoagora. Mas uma pessoa me disse, em intrigante sabedoria e extrema delicadeza: devagar, lu, devagar. Tenta controlar tua ânsia e postar um por dia. Como sou super obediente, vou tentar.

O melhor do Rio é o Rafa. Indiscutivelmente. Claro que me deslumbrei com paisagens e lugares e vou chatear vocês por tempos e tempos narrando cada coisinha fofa que me ocorreu. Mas o melhor do Rio é o Rafa. E, olhe, nosso encontro não foi nada nada parecido com o que eu tinha planejado. Eu pretendia um tête-à-tête vagaroso, cronológico, histórias de Era um vez um bebê até os dias de hoje. E imaginava uma noite que se escoava em chopps e palavras até a madrugada. Como canta Simonal: mas que nada...e, apesar de tão diferente, amei cada momentinho do encontro. O Rafa é um querido e quem não o conhece pode se sentir infeliz, agora, já. Porque ele tem um jeitinho de fazer a gente se sentir bem e confortável. Eu já lhe queria um bem imenso, afinal somos correspondentes, mas agora ele tem rosto e voz na minha memória. Bom demais.

Eu só posso querer um bem danado a este blog, ele tem me possibilitado vínculos inusitados e especiais que vão deixado minha vida saborosa e mais colorida. E eu, que julgava ter minha cota de amizades devidamente preenchida no fim da adolescência, surpreendo-me apaixonada por pessoas que vão chegando primeiro em palavras, abancam-se no meu coraçãozinho que, forçosamente, se reorganiza pra recebê-los e, quando vejo, sou uma pessoa melhor, mais bem-querer, mais sorrisos, mais vida.

De volta ao trampo, continuo no martírio da disciplina de Psicologia Jurídica. Se alguém tiver material, sugestões, pistas, indicações, filmes, anything que me ajude ou simplesmente alegre, serão bem vindos. Pior, apresentaram-me uma rádio, do Rio, que não me deixa trabalhar adequadamente. Acho que vou desistir disso tudo e ficar morando em Canoa, vendendo bugiganga (vou aproveitar o fds com S. lá e já ir arrumando ponto pra minha vendinha).


5 comentários:

HGlauce disse...

Que inveja destas sensações.... Claro que qdo começaste a falar do melhor do RJ, te conhecendo como conheço... sabia que era o Rafa. Ainda bem! Sei que teu "mal" é gente...
Obrigada, Rafa.
Beijos, Lu.

Danielle Martins disse...

Rafa já gostamos de você! Amigo de amiga minha é... meu amigo! rsrs

S. disse...

menina, vc sabe que hj eu me flagrei pensando: poxa, será que n descolo algo em canoa para passar o verão? medos, muitos medos... viraremos hippies? enfim...
acho rafa uma deliça desde que o li a primeira vez. um dia temos que marcar uma grande reunião no meio do caminho de todos. Sonho ou projeto? conversaremos...

Borboletas nos Olhos disse...

S. se virarmos hippies, podemos ser hippies de boutique? Que eu goooossstttoo de conforto,rsrsrr.

S. HG e Dani, sim, sim, sim, Rafa é tudinho de bom!

Dona Mila disse...

Olha o mole, agora vou ter que ir aí pra gente tomar nosso chopp. Falha miiiiiinha! Mas tudo bem, ainda não conheço suas bandas, é uma óóóótima desculpa. :D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...