segunda-feira, 12 de julho de 2010

A Ruthinha é boa...

Esse post era outro. Que, percebi agora, não posso escrever. Amanhã, de volta a programação normal (eu espero) com palavras ternas sobre viagens e conhecimentos.

O Tonho da Lua não sabia de nada. De nada. Não me venham falar da sabedoria dos puros. Não há. Nem pureza, nem sabedoria. Como eu sei? Estou contente. Há riso, carinho, cumplicidade, amizade. Há belezas. E, ali, no escuro de mim, há sangue. Há cortes. Há medos. Não meus. Eu já desisti dos meus medos. Mas eu os adivinho: os medos, as perdas, as dores tão minhas de tão alheias. Há o desamparo e esse é meu. Eu perdi o cotidiano. Mas vou fazer brigadeiro. Haverá doçura, então. Eu não sou leve, eu não tenho paciências, eu invento a realidade. Eu assusto? O que quero é que você fale. Um sim. Um não. Qualquer coisa. Eu quero ouvir. Quero dizeres. Quero acordar na madrugada com as palavras de Neruda. Quero dormir recitando Adélia até minhas palavras me colocarem pra dormir. Quero parar com isso. Quero arrumar a cama, arrumar a mesa, arrumar o armário. Quero mudar de assunto. Quero fechar as janelas. Quero meus livros em ordem alfabética. Quero dar conselhos e não ouvi-los. Quero escrever cartas e não posts. Quero sentar na calçada e ver a lua. Quero riso solto. Eu sei, você não tem culpa. Ninguém tem. Quem imagina os começos deve saber escrever os fins. Ainda que não haja, na verdade, história nenhuma. Que não haja pureza, nem sabedoria. Tonho da Lua não sabia de nada. A Ruthinha não é boa. Mas faz brigadeiro, alguém quer?


8 comentários:

Contra a Maré disse...

Tô com saudade de você e do seu povo. Tu tá doidinha né? Nós também. Bj.

Rafa disse...

Brigadeiro, eu quero. Palavras de homem, eu também quero, só se forem de homem de verdade, sejam elas: sim ou não. Bj!

Insana disse...

Amo Doces nossa delicia.

bjs
Insana

Borboletas nos Olhos disse...

Meu caro contra a maré, sim, estou doidinha. Também com saudades de vocês. Vocês colocam tudo no devido lugar. Sem os dramas que são meu vício.

Rafa, é isso, é isso. Eu preciso saber, depois tudo corre certo e justo. Mas eu preciso saber!

Insana, sou mais do sal, seja do mar seja das lágrimas. Mas, como celebração ou aproximação, brigadeiro é muito bom...

Rita disse...

Passe pra cá! Nham!

Borboletas nos Olhos disse...

Passo sim, Rita! Adoraria devorar um prato de brigadeiro conversando docices com você...

Danielle disse...

Já comprei a lata de leite condensado e o achocolatado!

Hertenha Glauce disse...

Metade
(Adriana Calcanhoto)

Eu perco o chão
Eu não acho as palavras
Eu ando tão triste
Eu ando pela sala
Eu perco a hora
Eu chego no fim
Eu deixo a porta aberta
Eu não moro mais em mim...

Eu perco as chaves de casa
Eu perco o freio
Estou em milhares de cacos
Eu estou ao meio
Onde será
Que você está agora?...

Eu perco o chão
Eu não acho as palavras
Eu ando tão triste
Eu ando pela sala
Eu perco a hora
Eu chego no fim
Eu deixo a porta aberta
Eu não moro mais em mim...

Eu perco as chaves de casa
Eu perco o freio
Estou em milhares de cacos
Eu estou ao meio
Onde será
Que você está agora?...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...