segunda-feira, 19 de abril de 2010

Eu estou gostando de alguém...

Eu sou do tempo que a gente confessava assim: estou gostando de alguém. Pois é: eu estou. Na verdade, quem me conhece sabe que é paixão antiga.
Não tenho muita certeza do que me atrai: pode ser aquela timidez que dá vontade de ir lá e desvendar tudo, tudinho. Pode ser aquele peito que nunca enfrenta o mar mas tem toda cara de ter abraço estreito. Pode ser aquela boca quase em formato de coração ou fruta, sei não, só sei que é tentadora. Pode ser o jeito de ter sempre a coisa certa pra dizer. Podem ser as companhias que ele sempre as teve boas (sou meio esnobe, admito). Pode ser porque ele entende tão bem as mulheres e como quase sempre eu sou uma...Pode ser, pode ser, pode ser.
O certo é que eu gosto dele. Muito. As pernas tremem e as lágrimas muitas vezes comparecem. Gosto do que vejo sempre e gosto do que me surpreende. Gosto do que vejo sempre e às vezes me surpreende. Mas gosto ainda mais do que vejo sempre e é sempre tão confortavelmente o mesmo. Meu gostar é assim. Explicitamente reservado. Ou controladamente louco, depende do ponto de vista. Lembro sempre da bethania dizendo com uma voz tão direta que chega a ser sensual: Eu simpatizo com alguns homens pelas suas qualidades de caráter, com outros eu simpatizo pela falta dessas mesmas qualidades e com outros, ainda, eu simpatizo por simpatizar com eles. Como eu sou rei absoluto na minha simpatia basta que ela exista para que tenha razão de ser...
Voltando ao meu bem amado. Eu não sei direito quando comecei a gostar dele. Foi meio sem querer e simplesmente assustador. Porque, claro, ele é de longe. Geograficamente também. Mas, principalmente, culturalmente. Eu sou meio...não, pra ser sincera, eu sou totalmente estabanada. E ele é fino, ah, isso ele é, por mais que se incline pro contrário. Mas como não ser fino vindo de onde ele vem? Difícil, né? Meu bem amado me faz mais eu: mais menina, mais ingênua, mais mulher da vida, de toda patente, mas suburbana, mais atriz, mais parada pregada na pedra do porto, mais gata, mais mulher, mais sirena, mais morena com olhos d'água, mais mais mais.
Gosto dos homens que me fazem sentir mais. Uma das coisas que gosto, gosto muito, é que ele me faz recordar coisas que eu não vivi mas é como se. Como se houvesse jaqueira, cheiro de jasmim nas almas e como se algum dia eu tivesse sido criança.
Fico a escutar vezes sem fim a suavidade que não é minha. Eu, se fosse você, escutava também.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...