domingo, 21 de fevereiro de 2010

No casulo de novo ou Casulo novo...

Resolvi mudar a minha apresentação. Não sei bem por quê, talvez eu seja de fases como a lua, talvez seja a proximidade do meu aniversário, talvez simplesmente tenha estado no casulo por um tempo e seja hora de ver as novas cores das asas da borboleta...Aproveitei e mudei as coisinhas que têm aí do lado - por exemplo agora tem uma lista de 05 coisas que me ocupam e uma frase que está me baldeando o juízo, creio que estes elementos mudarei toda semana - e ainda pretendo bulir mais, inserir ou retirar itens. De qualquer forma, eu não quero perder as palavras que já usei pra me dizer, então faço delas um post enquanto novas palavras chegam:

Sou uma mulher. Uma mulher que é mãe. Uma mulher que é apaixonada. Uma mulher que é amiga. Uma mulher que, se não é de Atenas, é quase, e com certeza é uma mulher de Hollanda (com duplo sentido). Uma mulher que descobriu que fazer 30 anos é maravilhoso(ou que descobriu que é maravilhosa com todas as idades, mas como tem 30...). Uma mulher que ri escandalosamente. Uma mulher desajeitada, mas charmosa no seu sem jeito. Uma mulher que ama desbragadamente. Uma mulher que se atira. Uma mulher que tem nervos, coração, estômago, tudo à flor da pele (o que dá uma impressão estética meio estranha, você não acha?). Uma mulher, que é gente, mas é muito, muito mais mulher. Uma mulher que é gata (conforme a canção de Enriquez/Bardotti) e que de vez em quando sonha ser Scarlett. Uma mulher de família (pois amo cuidar da casa, cozinhar, receber familiares e amigos). Uma mulher da rua (amo bar, dançar, ver o sol raiar). Uma mulher que não sabe ficar na sua (dou pitaco em tudo). Uma mulher meio fora de tempo (estrangeira na terra, como diria Clarice). Uma mulher prolixa,como você pode ver e ler...

Agora ficou assim: Por enquanto, na falta de mais palavras, Valsinha. Ou Marquesa, tá vendo, palavras não faltam, a gente é que manca com elas. Sou Scarlet, Gilda, Michael Corleone, sou o Corcunda de Notre Dame, aqui no semi-árido. Ginger Rogers, só por causa do Fred. Estou bonita como nunca e sou a condessa descaça e, às vezes, bonequinha de luxo. Sou Cláudia Cardinale e seus cabelos de fogo - só que meu fogo não tá no cabelo. Sou de peixes, água na fervura. Sou mulher de muitas palavras e, na ausência de outras, por enquanto, valsinha. Assim, continuo de Hollanda...

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...