quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Ainda Dolores...

Foto de : http://www.olhares.com/manraphael
Não entendendo a risada de minha amiga Dani, fui reler o texto anterior, percebi que ele foi ao ar sem estar completo, tendo perdido várias partes importantes, inclusive o título que deveria ter sido Pintando o Sete com Dolores...Mas justifico, estava escrevendo no apartamento, madrugada adentro, esperando o meu amor chegar. E ele chegou. Quado ele está perto fico ainda mais confusa e baratinada, tendo alta probabilidade de fazer besteira, como esta que aparentemente fiz: desligar o computador sem salvar minhas alterações. Pena mesmo. No texto anterior eu dizia do quanto ouvir as músicas e a voz de Dolores Duran me ensinaram sobre amar, sobre ser mulher, sobre sofrer e viver. Assim, Dani, eu falava do meu amor (rsrsrs). Não vou lembrar as exatas palavras mas lembro que dizia que Dolores ensinava que o feminno tem um pé no silêncio e no sofrer de amor. Faz parte ter "um molejo de amor machucado" como celebrava Vinícius. Mas dizia, também, que Dolores entendia a necessidade da mulher se conhecer e reconhecer seus limites...Ah, me comove às lágrimas quando ela sussurra "eu desconfio que o nosso caso está na hora de acabar..." ou quando ela samba lentamente: "Não faça idéias erradas de mim Só porque eu quero você tanto assim Eu gosto de você mas não esqueço De tudo quanto valho e mereço Não pense que se você me deixar A dor será capaz de me matar De um verdadeiro amor não se aproveita E não se faz senão aquilo que merece Depois ele se vai, a gente aceita A gente bebe, a gente chora, mas esquece". Você escuta e sabe: dói, mas é necessário. Mas você entende, também, que é preciso entregar-se "hoje eu quero a rosa mais linda que houver e a primeira estrela que vier para enfeitar a noite do meu bem (...) Ah! como este bem demorou a chegar eu já nem sei se terei no olhar toda pureza que eu quero lhe dar." Ela é quem diz: perto de ti sofro muito, longe de ti sofro mais...nos avisando que tem dias que você só vai poder esperar que passe, que gente é sempre difícil e amar é o que fazemos de mais complicado. Ela é quem me ensinou a ficar ao lado do meu bem: Ai...Leva-me contigo Perde a minha vida quando te perderes Deixa que eu te dê meus olhos para que tu chores sempre que sofreres...

Então, amiga Dani, eu não sei exatamente o que tinha dito, mas sei com certeza que era sobre amor e entrega e sofrimento e alegria e construção e encontro e felicidade, ou seja, era sobre o Roberto mesmo...

2 comentários:

Aline disse...

Ninguém melhor que uma grande mulher pra falar de grandes mulheres! (babona, não? rsrs)

Dani disse...

rsrs
Agora sim, completo!
É lindo o seu amor e as 7 X 7 formas que você encontra de expressa-lo. Te adoro!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...