terça-feira, 21 de julho de 2009

O homem esteve na lua?

20 de julho de 1969. Chegada do homem na lua. Uns dizem que se resume a uma demonstração de poder na época da Guerra Fria. Alguns dizem que é uma grande fraude, que o homem nunca esteve na lua. Eu não sei se outros estiveram por lá. Mas eu digo logo, tal como o Guilherme Arantes, que eu vivo sempre no mundo da lua. Porque sou uma cientista, o meu papo é futurista, é lunático. É isso aí, muitas vezes me vejo meio perdida no dia a dia, sem tanto assunto como tinha antes pra conversar com as pessoas "normais", que não estão na neura da academia de doutorados, artigos, produzir textos e textos. Apesar de muitos acharem meio "moleza" minha rotina, faz tempo que não vejo tantos filmes, leio tantos livros ou frequento lugares legais como fazia antes...Tenho alma de artista, sou um gênio sonhador e romântica. Se alma de artista corresponde a não ser muito prática, hehehe, tenho sim. Embora, quem me viu, quem me vê. Hoje faço contas e organizo meu orçamento. Mas ainda estou longe de ser uma pessoa organizada e pragmática. Sou sonhadora e romântica. Planejo momentos apaixonados e apaixonantes pra passar com meu amor (que nem sempre funcionam, claro). Sou romântica, gosto de ouvir Negue, Fracasso, Proposta, gosto de flores e de ganhar chocolates (até mais do que gosto de comê-los). Porque sou aventureira desde meu primeiro passo pro infinito, que deve ser a morte, né? Sou aventureira, quem abraça a vida sabe que amar, sonhar, trabalhar, sentir são aventuras mais exaustivas e recompensadoras que escalar o Everest. Não gosto de colocar meu corpicho em situações desconfortáveis ou perigosas, mas acredito que as aventuras do coração e do espírito são ainda mais perigosas. Pensando em lua, perigo, aventura, dor e sei lá mais o quê, só posso mesmo lembrar de Ismália:
Quando Ismália enlouqueceu,
Pôs-se na torre a sonhar…
Viu uma lua no céu,
Viu outra lua no mar.
No sonho em que se perdeu,
Banhou-se toda em luar…
Queria subir ao céu,
Queria descer ao mar…
E, no desvario seu,
Na torre pôs-se a cantar…
Estava perto do céu,
Estava longe do mar…
E como um anjo pendeu
As asas para voar…
Queria a lua do céu,
Queria a lua do mar…
As asas que Deus lhe deu
Ruflaram de par em par…
Sua alma subiu ao céu,
Seu corpo desceu ao mar…

3 comentários:

Contra a Maré disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Contra a Maré disse...

Sendo assim eu desmarco o "bombjump" e o mergulho com os tubarões? rsrsrs

Borboletas nos Olhos disse...

Com certeza, desmarcadíssimo, só pulo no abismo das emoções e não enfrento tubarões, só piranhas (ai, que brega)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...