quarta-feira, 22 de julho de 2009

Cuidando da Borboleta

Dia 20 de julho foi o dia do amigo. Pra variar, mandei poucas mensagens, não telefonei pra ninguém e ainda bati fofo com algumas pessoas. Ai, ai, ai, nessas horas é que me pergunto: será que o sentimento basta? Eu acredito que meus amigos saibam que os amo. Amo mesmo, daquele amor que segura qualquer barra e aguenta as pontas. Amo de chorar junto e rir junto. Mas sou muito ruim no dia a dia. Esqueço datas e não faço os pequenos gestos que cativam. Tem uma porção de gente que quero bem como se fossem amigos. Na verdade, estamos a um passo de ser, falta só tempo, contato ou coisas assim. E tem os amigos. Aqueles que deveriam ter recebido mensagens, telefonemas, flores, o que fosse. Farei o que meu amigo Évio não quis fazer. Vou escrever o nome de vocês aqui. Se eu esquecer alguém, já sabe que não é falta de amor e sim meu jeito desengonçado de ser na vida de vocês.
Amigos novinhos: Bete, Girlene, Juliano e Luciana, Lilian, Roberta e PH, Yákara e Rodrigo. Amigos quase nunca vejo mas nunca deixo de amar: Alana, Cleo, Idalice, Ivanzinho, Lemuel, Lidia, Mais Bonita, Marineuda, Nara, Wládia. Amigos que trouxe da infância: Ana Paula, Gabriela, Helma, Jack, Rosângela. Amigos emprestados: Ana Luisa, Tathi, Carla Ivânia. Amigos família também é amigo: Alâny, Carol, Cunhada, Gueda, Iolanda, Liana, Luana, Lucas, Samara. Amigos ainda me aguentam com regularidade: Adryana, Aline, Ana Batista, Dani, Évio, Henrique e Karla, Hertenha, Marcos Cavalcante, Patrícia, Paulo Roberto, Rondi, Rozane e Leandro, Silvia, Silvia Sousa. Essa organização não é única, podia ter separado, por exemplo, os amigos de copo, ou por épocas da vida, ou por afinidades, e por aí vai. Tenho amigos que são ainda mais desligados do que eu e que só mandam uma mensagem uma vezinha na vida. Tem aqueles amigos que topam qualquer parada (por exemplo, minhas amicíssimas Hertenha, Patrícia, Dani que já toparam ser minhas demoiselles, com buquêzinho e tudo). Tem os amigos que cuidam da borboleta. Não são, por isso, melhores amigos ou mais queridos. Apenas seus sensor tá mais alerta ou o convívio tá maior. Não vou pedir desculpas aos outros. Amar é aceitar. E eu sei que vocês me amam.

Adryana - só de olhar pra ela me sinto mais forte, mais bela, mais amada. Tem vezes que nem lembro o que a gente conversa, pois tudo é importante e o mais importante é conversar com ela.
Aline - parece frágil e eu tenho maior vontade de cuidar dela, mas quando vejo ela já está me acolhendo, agradando, abraçando.
Cunhada - me escuta vezes e vezes dizendo a mesma coisa e vibra com as minhas pequenas alegrias. Me mandou pra Mossoró com mala e cuia mesmo sabendo que da tristeza/saudade do seu amor. Cunhada que é irmã.
Dani - eu já nem sei dizer como ela sabe estar perto. Ela fala e escuta. Preenche minhas faltas de sentido. Alegra. Empolga. E está sempre lá. Lá, onde eu preciso. Ela perdoa. E recomeça.
Évio - copo, mengo, blog. Em todo canto ele é mão amiga. Ele me faz rir, principalmente de mim.Ele dimensiona meus medos e ridiculariza minha insegurança. Ele (e ela) nunca precisam oferecer, num dia de muita dor, é pra lá que eu vou.
Hertenha - minha amiga de fé, minha irmã, camarada. Nossas vidas já foram bem pertinho e já ficaram bem distantes. Nossas vidas, não nós. Ela é artista, eu sou cientista. Dois universos quase paralelos, mas nossos encontros são infinitos.
Liana - Irmã, companheira de casa, colega de trabalho, amiga. Todo dia me aguentar, haja saco. E ela tem. Mais que isso, ela me apóia, incentiva, ralha, compartilha. Nem sei como vai ser não morar mais com ela. Ela cuida de fio a pavio.
Luana - Ela dá conta de tudo e me advinha pela voz. Seu "tá tudo bem?" me dá logo vontade de chorar. Uma irmã mais nova que muitas vezes é a primeira: primeira a decidir, a incentivar, a colaborar, a brigar, a esquecer.
Marcos Cavalcante - ele cuida no abraço, até sem saber. Tem dias que tô fria por dentro, com uma angústia que não sei nomear e não me atrevo a ligar pra ninguém, pois não saberia nem reclamar: "tô triste, assim, sei lá, sozinha por dentro?" Aí ele chega no restaurante e me abraça e muita coisa volta pro lugar.
Patrícia - ela sabe coisas que até eu já esqueci, meus maiores medos, minhas maiores dores, meus maiores pecados. E não deixa de ser minha amiga. Ela faz. Faz coisas que eu não pediria a mais ninguém. Faz de um jeito que não nos importamos se é certo ou errado, faz porque é necessário. Ela cuida pra eu não esquecer quem eu sou.
Paulo Roberto - Mora longe e é super ocupado. Mas parece advinhar: suas mensagens ou visitas são sempre quando mais preciso. Sua sintonia fina é perfeita. Uma palavra precisa e meu coração se alegra e os olhos desanuviam.
Sempre que penso em amigos, amizade e coisas do gênero fico a lembrar do filme Casablanca. Na verdade, fico a pensar na origem das amizades, como surgem os vínculos que não são rompidos nem com distância, nem com mudança de estilo de vida, nem mesmo com diferenças radicais de valores (né, Patrícia?). .

Grande parte das minhas simpatias/amizades eu nem sei como surgiram. Claro, quem é da família como irmã e prima, eu sei que a convivência ajudou. Mas porque, dentre os colegas de faculdade ou os vizinhos de rua, algumas pessoas se tornam imprescindíveis? E outras tornam-se meras lembranças enevoadas e melancólicas? Tem gente que eu soube antes de acontecer, como minha querida Adry. Tem gente que eu nem suspeitava, como o dr. Paulinho. Tem gente que tinha tudo pra não ser e é, como minha Hertenha. Só sei que é difícil dizer, como Bogart: Isso é o começo de uma grande amizade. Muitas vezes sou inepta até pra cuidar das que tenho, que dirá pra perceber as que estão surgindo. Mas, quem me conhece e ama, sabe que pode dizer: Sabe, Rick, no fundo você é um sentimental.

8 comentários:

Adryana disse...

Te amo...

Juliano Moura disse...

Caramba Lu! Quanto amigo! Honra fazer parte do esquadrão!

Aline disse...

Nem q vc queira vc consegue ser ausente. Vc faz parte da minha vida (no sentido mais profundo e bonito que isso possa ter), e isso com certeza acontece tmabem com todos os seus amigo! Te amo!

Dani disse...

eu vou ter que ser repetitiva aos comentários: Te amo!

Ana disse...

Quando vi meu nome aqui torci tanto tanto pra ser eu e nao outra... Aih a Irma confirmou, Sim, eh voce!
:)))
Beijos amorosos e honrados,
Ana.

Nara disse...

TB TE AMOOOO! e queria te ver mais! Acho que vc sabe como é importante o seu olhar pra mim - em todos os sentidos - desde de vc ter me visto (antes até de mim mesma talvez), como o que vc diz do mundo, com essas borboletas todas!

ALEX disse...

Valeu pela lembrança Alguém de um passado longínquo......

ALEX disse...

Valeu pela lembrança Alguém de um passado longínquo......

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...